Entenda como será o primeiro anticoncepcional para homens produzido no Brasil

O projeto está focado em procurar formas de impedir a mobilidade do espermatozoide, e não impedir a produção do gameta masculino

Postado em: 15-02-2022 às 13h35
Por: Iara Godoi
O projeto está focado em procurar formas de impedir a mobilidade do espermatozoide, e não impedir a produção do gameta masculino | Foto: Reprodução

Pesquisadores da Unesp (Universidade Estadual Paulista), descobriram em estudos recentes, como tornar os anticoncepcionais masculinos mais viáveis. O anticoncepcional tem como foco dificultar a capacidade do espermatozóide de nadar até o óvulo.

O projeto está focado em procurar formas de impedir a mobilidade do espermatozoide, e não impedir a produção do gameta masculino. O anticoncepcional feminino funciona de forma diferente, focando na inibição da ovulação, para que não possa ser fecundado e ser iniciada uma gestação. 

“O grau de complexidade da produção do espermatozoide é maior que o da produção do óvulo feminino. O processo de espermatogênese dura cerca de dois meses e ocorre de forma contínua. […] Se fosse produzido um contraceptivo masculino que impedisse a produção do espermatozoide, o medicamento demoraria de três a quatro meses para apresentar efeito a partir do momento em que um homem começasse a usá-lo” explica Erick José Ramo da Silva, pesquisador e um dos autores do artigo, em entrevista para o site Só Notícia Boa. 

Continua após a publicidade

Os resultados dos testes feitos na Unesp são animadores. Para a pesquisa, três camundongos foram medicados e foi constatada a redução de motilidade dos espermatozoides. A pesquisa agora passa por mais fases de testes, em parceria com pesquisadores de Portugal e do Reino Unido.

Veja Também