Setor de franquias cresce e fatura R$ 5 bilhões em Goiás 

Segundo balanço, o número de unidades de franquia aumentou 15,5% ao longo de 2021

Postado em: 19-02-2022 às 17h00
Por: Eduarda Albuquerque
Segundo balanço, o número de unidades de franquia aumentou 15,5% ao longo de 2021 | Foto: Reprodução

Com a tímida recuperação econômica no ano de 2021 – há estimativa de crescimento de 4,7% do PIB brasileiro no período, o que não é muito se levarmos em conta que a medição é feita em relação a 2020 – o setor de franquias no Estado de Goiás teve crescimento de 18,6% no mesmo período. O faturamento saltou de R$ 4,28 bilhões para R$ 5,08 bilhões segundo dados divulgados dia 16 de fevereiro pela Associação Brasileira de Franquias (ABF).

Segundo balanço, o número de unidades de franquia aumentou 15,5% ao longo de 2021. No fim de 2020, eram 4.565 operações; em 2021, totalizaram 5.274. As franquias que mais cresceram foram do setor de entretenimento e lazer, um pulo de 165,6%, eram 33 unidades em 2020, 88 em 2021. Em seguida, destaque para o setor de serviços e outros negócios, aumento de 59,1%, encerrando 2021 com 1.333 unidades.  Em seguida, o setor de saúde, beleza e bem estar, que cresceu 43,1% em relação a 2020, totalizando 1.016 unidades. Os setores que tiveram queda, por sua vez, foram: alimentação ligada ao comércio e distribuição (35,4%), comunicação, informática e eletrônicos (-22%) e alimentação ligada ao food service (13,7%).

Segundo a associação do setor, cada unidade de franquia gera, em média, 8 empregos diretos. Com o aumento de 15,6% de postos nesse setor, o número de trabalhadores contratados por franquias aumentou de 37.197 em 2020 para 42.988 em 2021. São 5.791 postos a mais. Esses trabalhadores, para o presidente da ABF André Friedheim: “estão em sua primeira experiência e as redes têm o importante papel de formação. Um ambiente menos burocrático e com uma carga tributária mais equilibrada certamente ajudaria o setor a gerar ainda mais postos”.

Continua após a publicidade

Os franqueados entendem que alguns fatores foram fundamentais para o avanço expressivo do setor em 2021. A suspensão ou redução do distanciamento social voltou a aproximar consumidores do comércio de rua e das áreas dos shoppings. Outras franquias se beneficiaram exatamente do oposto: a maior permanência das famílias em casa. Também ocorreu um aumento da eficiência dos negócios, com investimentos para a digitalização acelerada das operações. 

Na perspectiva nacional, o setor faturou R$ 185,068 bilhões no Brasil em 2021. Ainda 0,9% abaixo do resultado de todos o ano de 2019 (R$ 186,755 bilhões), mas muito acima dos R$ 167,187 bilhões de 2020. Além disso, dentro dos recortes semestrais, o quarto semestre de 2021 foi 3,1% melhor do que o mesmo período de 2019.A partir dos dados divulgados sobre o ano passado, o mesmo André Friedheim afirma que “que o mercado de franquias registrou uma recuperação mais homogênea em 2021 na comparação com 2020 e que segmentos como Casa e Construção (19,3%) e Saúde, Beleza e Bem Estar (10,5%) até ganharam espaço”.

Veja Também