Além de Monark, veja outros artistas e produtores de conteúdo que já foram barrados pelo YouTube

A desmonetização ocorre quando o algoritmo da plataforma identifica algum conteúdo que não esteja de acordo com as diretrizes de conteúdo do YouTube

Postado em: 21-02-2022 às 13h00
Por: Iara Godoi
A desmonetização ocorre quando o algoritmo da plataforma identifica algum conteúdo que não esteja de acordo com as diretrizes de conteúdo do YouTube | Foto: Reprodução

Monark, ex-apresentador do Flow Podcast afirmou em uma postagem em seu Twitter que a plataforma de vídeos YouTube não irá monetizar os vídeos que o ex-apresentador postasse na plataforma, não permitindo que ele entrasse para o programa de parcerias da plataforma.

Na primeira postagem de Monark sobre a não monetização dos vídeos no YouTube, é apresentado um print de uma resposta de e-mail do YouTube Brasil. “Enquanto a suspensão [da monetização] permanecer, você não poderá criar um novo canal ou se utilizar de terceiros para burlar as restrições do Programa de Parceiros do YouTube” declara a plataforma no e-mail.

A decisão da plataforma não é exclusiva contra Monark. A desmonetização ocorre quando o algoritmo da plataforma identifica algum conteúdo que não esteja de acordo com as diretrizes de conteúdo do YouTube. Diversos produtores de conteúdo e artistas já sofreram com a desmonetização, conheça alguns casos;

Continua após a publicidade

Pocah

A cantora Pocah alega já ter sofrido censura da plataforma com o videoclipe da música “Muito Prazer”. “Pra quem não sabe, quando o clipe é censurado, ele alcança um número bem menor de pessoas, ele não é entregue a tantas pessoas. E, assim, a música perde a mensagem principal que é a liberdade da mulher. É até uma ironia, não?”, comenta a cantora em entrevista ao portal de notícias Uol.

Felipe Castanhari – Canal Nostalgia

O youtuber Felipe Castanhari, apresentador e dono do Canal Nostalgia, com mais de 14 milhões de inscritos tem seus vídeos sobre conteúdo educativo de história e curiosidades sobre artistas desmonetizados com frequência na plataforma, com alegação de direitos de imagem.

“Uma hora depois de subir o vídeo do Egito para o YouTube ele perdeu a monetização por causa de 15 segundos de um vídeo da BBC que estava lá. A Monetização do vídeo foi inteira para a empresa. Você passa seis meses para produzir um vídeo de história, e uma hora depois a monetização dele está indo para uma empresa multimilionária. E isso é culpa do Youtube, que permite que o sistema funcione dessa forma.” afirma o Youtuber, no vídeo “Fim do YouTube e do Canal Nostalgia”, onde Felipe mostra uma lista de vídeos que não são monetizados na plataforma.

Luísa Sonza

O videoclipe da música “Mulher do Ano” foi removido da plataforma do Youtube em agosto de 2021. O vídeo continha cenas de beijo de língua trocados entre a cantora e seu ex-namorado e cantor Vitão. 

Eduardo Benvenuti – BRKsEDU

O canal de gameplays e vlogs voltados para o mundo dos jogos com mais de 9 milhões de inscritos também sofre com a desmonetização. Vários vídeos com gameplay do youtuber acabam por não serem monetizados por possuir música dos próprios jogos, que reivindicam os direitos autorais.

Veja Também