Europa: após imóvel de 7m² ser vendido a R$ 350 mil, brasileira compra casa na Itália por apenas 1 euro

Os países europeus vem procurando maneiras de atrair moradores para locais que muitas vezes são patrimônios históricos e não podem acabar abandonados

Postado em: 24-02-2022 às 11h45
Por: Alexandre Paes
Os países europeus vem procurando maneiras de atrair moradores para locais que muitas vezes são patrimônios históricos e não podem acabar abandonados. | Foto: Reprodução

Não é novidade para quase ninguém que muitos países europeus vêm passando por uma intensa queda populacional, principalmente depois da pandemia. Por isso a tal da casa por 1 euro, na verdade, é uma oferta que existe na França, Croácia, Itália e Espanha, e se trata de um concurso onde interessados podem participar para tentar arrematar a propriedade. A brasileira Paula Magalhães foi uma das sortudas.

Paula Magalhães é arquiteta, e comprou uma casa por 1 euro na Itália. O imóvel estava ‘detonado’, e fica em Calábria, no sudoeste do país, mas ela diz ter se apaixonado pela região e decidiu adquirir o bem. “Encontrei essa casa completamente abandonada, e ao invés de focar na bagunça, eu vi que ela tinha um arco muito bonito”, conta.

Mas como comprar um imóvel desse preço?

Continua após a publicidade

Tudo isso acontece porque países do continente europeu tem a população mais idosa do mundo, e eles vem procurando maneiras de atrair moradores para esses locais que muitas vezes são patrimônios históricos e não podem acabar abandonados.

As casas são bem concorridas e o que determina o novo proprietário é a quantidade de pontos que seu projeto ganha de acordo com o edital. Para esta casa, Paula se inspirou no pantanal, misturando brasilidade e preservando as memórias da propriedade.

Ela explica como viu o tal anúncio e resolveu participar. “Há cerca de 100 km de onde estava, em Taranto, havia uma oportunidade para concorrer a uma casa por 1 euro. “Acabei entrando nessa, aluguei uma casa no centro histórico e participei do edital”, explicou.

No fim de 2021, a brasileira recebeu a melhor notícia: seu projeto seria executado e ela se tornaria a então proprietária da casa. O valor da propriedade é simbólico e o que vale é o investimento, pois é preciso comprovar a iniciativa de transformar o imóvel, respeitando limites.

Segundo Paula, a casinha tem cerca de 80 m², três andares (além de um possível porão subterrâneo) e conta com três quartos. Ela afirma ainda que o projeto deve ser iniciado nos próximos meses.

Veja Também