Quaresma: além de ovos e frango, consumo de peixe triplica durante esse período

A tradição de se consumir somente carne branca tem se tornado cada vez menor, mas ainda movimenta o mercado de pescados

Postado em: 02-03-2022 às 16h55
Por: Alexandre Paes
A tradição de se consumir somente carne branca tem se tornado cada vez menor, mas ainda movimenta o mercado de pescados | Foto: Reprodução

A movimentação nas peixarias da cidade se intensifica com o início da quaresma. Quarta-feira de Cinzas é o primeiro dia do tempo que recorda os 40 dias de Cristo no deserto. Neste período, os fiéis cumprem penitências das mais diversas, e uma delas é que deixem de lado as carnes vermelhas e se alimentem com peixe ou carnes brancas. Neste ano a expectativa é que a demanda cresça ao lomngo dos próximos dias, e que se intensifique ainda mais durante a Semana Santa.

A tradição tem se tornado cada vez menor, mas, de qualquer forma, ainda movimenta, e muito, o mercado de pescados. Marinalva Sena é dona de uma peixaria na região leste de Goiânia, e lembra que a tradição já não é mais a mesma. “Anos atrás o consumo era maior por que muitos seguiam a risca os 40 dias sem consumir carne vermelha, então a venda dos filés de peixe era enorme”, argumentou.

O seu Aparecido de Paula, de 80 anos, confirmou que não segue à risca a tradição religiosa em sua casa, mas durante a Semana Santa a clientela em busca de comprar o peixe chega a triplicar. “É uma loucura, não dá tempo nem para tomar água, pois a cada minuto chega alguém pra comprar, e nós como fornecedores temos que estar preparados e abastecidos”, comenta.

Continua após a publicidade

Segundo Marinalva, boa parte dos consumidores deixa as compras para última hora, então, na Quinta-feira Santa é o dia em que o fluxo de clientes mais cresce. “O movimento dobra ou triplica, e por não estarmos em região litorânea, o bacalhau, o filé de tilápia e o pintado são o ‘carro-chefe’ dos goianos”, garante.

O fenômeno da “troca de proteínas” também reflete nos mercados, que, atualmente, aparecem como forte concorrência das peixarias. Cintia Fernanda é encarregada de um hipermercado, e segundo ela, o crescimento da demanda se torna maior durante a última semana da Quaresma, quando praticamente triplica. ” Esse boom nas vendas de peixes só ocorre uma vez por ano, então as pessoas não se privam de comer. Pra nós também é ótimo para vender” pontuou.

Veja Também