Usar Whatsapp como ferramenta de trabalho pode aumentar ansiedade, explica psicóloga

Postado em: 31-03-2022 às 12h47
Por: Ícaro Gonçalves
“O ideal é limitar o uso, reservando alguns horários durante o dia para checar as mensagens", afirma uma psicóloga especialista no tema | Foto: Reprodução

Nos últimos anos, as redes sociais têm ganhado mais espaço na vida das pessoas. Principalmente durante o período de pandemia, seu uso pessoal e profissional aumentou ainda mais. Para se ter ideia, de acordo com a pesquisa TIC Domicílios 2020, lançada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), o Brasil chegou a marca de 152 milhões de usuários da internet durante o período de pandemia.

Além disso, uma pesquisa da Mobile Time aponta que o volume de mensagens trocadas entre clientes e empresas pelo Whatsapp no primeiro trimestre de 2021, cresceu 251% se comparado ao mesmo período de 2020.

Para a psicóloga e especialista em Psicologia Clínica pela PUC de SP, Vanessa Gebrim, é necessário prestar atenção para que o uso das redes sociais não se torne um problema. “O aumento do uso do Whatsapp também se dá porque as mensagens de áudio facilitam muito. Acaba sendo mais fácil, pois nem sempre a pessoa está disponível para ouvir. Quando falamos do uso do Whatsapp para trabalho, se a pessoa não souber administrar, isso pode ser um problema. É importante ter bom senso e saber equilibrar, para não prejudicar o lado profissional e nem o pessoal”, explica a psicóloga.

Um estudo publicado pelo periódico científico The Lancet diz que a pandemia provocou o aumento global em distúrbios como a depressão e a ansiedade. O recurso que permite acelerar a velocidade dos áudios, oferecido pelo Whatsapp, pode ser um problema para quem já sofre com essas questões.

“A busca pela cultura de urgência pode desencadear sintomas de ansiedade e também pode causar perdas nas interações. Acaba tendo uma diferença no ritmo, entonação, nas pausas e até na respiração do locutor. O resultado é que a comunicação se torna fria, distante e se perde a qualidade dos relacionamentos. Isso pode acabar gerando um padrão em que passamos a nos ver sempre correndo. Acelera as relações, a intimidade e tudo pode ficar mais superficial”, afirmo Vanessa Gebrim. 

Cuidado com a ansiedade

As mensagens de texto como mensagens de áudio, sejam elas longas ou curtas, ajudam as pessoas a se comunicarem de maneira rápida. Mas essa praticidade não significa que essa maneira é mais saudável. “Isso pode acabar distanciando as pessoas. Pode dar uma falsa ideia de que supre um encontro real, mas também pode dar uma sensação de monólogo, porque nem sempre a pessoa vai responder no horário que você envia ou até pode ser que a pessoa esqueça de te responder. Dependendo da situação psicológica da pessoa, a falta de resposta talvez não seja um problema, mas pode gerar sentimento de rejeição ou raiva”, explica Vanessa.

O importante é equilibrar

A melhor forma de começar a usar as redes sociais de forma mais saudável, é encontrar o melhor equilíbrio. “O ideal é limitar o uso, reservando alguns horários durante o dia para checar as mensagens. Estabelecer limites nos horários das refeições e também na hora de dormir. Se possível, desativar notificações e silenciar também os grupos”, conclui Vanessa Gebrim.

Compartilhe: