Mulher que mandou matar o marido para ter prêmio da Mega Sena perde direito ao dinheiro

Postado em: 04-04-2022 às 16h57
Por: Augusto Sobrinho
O marido havia ganhado R$ 52 Milhões no sorteio | Foto: Reprodução

Adriana Ferreira Almeida foi considerada indigna pela  Justiça do Rio de Janeiro para receber a herança do marido, Renê Senna, que havia sido ganhador da Mega-Sena. A viúva foi condenada a 20 anos de prisão por ser mandante da morte do esposo em um bar de Rio Bonito (RJ), em 2007.

A decisão foi definida pelo juiz Pedro Amorim Gotlib Pilderwasser por entender que ela praticou o crime, justamente, para ter a herança do marido. “Não é admissível que um herdeiro que causou dolosamente a morte do autor da herança se beneficie desta, recebendo parte do patrimônio”, disse.

Segundo a denúncia da Promotoria do Rio de Janeiro, a viúva ofereceu uma recompensa a cinco comparsas para planejarem e executarem o crime contra o marido. Senna foi morto a tiros, em janeiro de 2007, dois anos após ganhar o prêmio de R$ 52 milhões na Mega-Sena.

O pedido para retirar Adriana da linha de sucessão foi feito pela filha da vítima, Renata Almeida. A Justiça também condenou a mulher a pagar os custos processuais e “honorários de sucumbência de 10% sobre o valor atualizado da causa”, ou seja, o honorários ao advogado do vencedor, no caso a filha de Renê.

Compartilhe: