Estados Unidos e aliados dificultam ainda mais as transações internacionais dos russos; saiba como

Postado em: 06-04-2022 às 14h51
Por: Cecília Sampaio
As imagens divulgadas do massacre nas cidades de Bucha e Kiev são só a “ponta do iceberg", de acordo com Jen Psaki , porta-voz da Casa Branca | Foto: Reprodução

Nesta semana os Estados Unidos e os aliados voltam a impor sanções contra o Kremilin. Isso se deve  às denúncias de crimes de guerra feitos da Ucrânia. Entre as medidas tomadas estão a ampliação de sanções contra instituições financeiras e empresas estatais russas e contra funcionários do governo e familiares.

As imagens divulgadas do massacre nas cidades de Bucha e Kiev são só a “ponta do iceberg”, de acordo com Jen Psaki , porta-voz da Casa Branca. Ela afirmou que Joe Biden pensa em “medidas adicionais”, mas até o momento nenhuma sendo uma ação militar na Ucrânia.

Nesta terça (5/4) o Departamento do Tesouro norte-americano bloqueou qualquer pagamento russo feito com dólares americanos.com a ideia de dificultar o comprimento das obrigações financeiras por parte da Rússia. Também vale lembrar que nos últimos tempo diplomatas russos também vem sendo expulsos de países europeus, de a Euronews foram 150 ao total.

Ajuda militar

Apesar dos EUA não interferirem em território russo disponibilizaram US$ 100 milhões de dólares à Ucrânia. De acordo com o porta-voz do Pentágono, John Kirby, disse que é para atender a necessidade urgente dos sistemas antitanque Javeli, também fornecidos pelo país.

A Ucrânia tem um número considerado baixo de militares, com a fuga de mais de 11 milhões de pessoas do país. Essa já é considerada a pior crise de refugiados na Europa desde a Segunda Guerra Mundial. As Nações Unidas estimam que 13 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária.

Compartilhe: