Pesquisa aponta que chá mágico de cogumelo pode ajudar no tratamento de depressão

Postado em: 25-04-2022 às 14h27
Por: Cecília Sampaio
Os resultados até o momento mostram maior conectividade em diferentes regiões dos cérebros de acordo com as tomografias dos pacientes | Foto: Reprodução

Alucinógenos podem ser a solução para depressão. No Brasil estão pesquisando a psilocibina, assim como outras substâncias que têm origem na natureza, como ibogaína e ayahuasca,  e de compostos sintéticos como LSD e MDMA, de acordo com a BBC. Os apontamentos mais recentes vem do ensaio clínico feito no Reino Unido, onde a droga usada no estudo é a psilocibina, também conhecido como “chá mágico de cogumelo”.

De acordo com as leis britânicas a substância é ilegal e é necessário uma regulamentação e total controle para que ela possa estar sendo usada. Os resultados até o momento mostram maior conectividade em diferentes regiões dos cérebros de acordo com as tomografias dos pacientes.

Os pesquisadores descobriram que os alucinógenos tiram os pacientes de “uma rotina de pensamentos negativos. É como se ela reintegrasse o cérebro de maneira que ele fique mais fluido, flexível e conectado. 

Steve foi um dos pacientes deste estudo e descreve a experiência como: “não trocaria a experiência por nada — foi maravilhoso — e não acho que vou experimentar algo assim novamente”. De acordo com o mesmo, a primeira dose fez com que ele sentisse uma alegria que nunca imaginou que sentiria.

A segunda vez foi mais difícil, de acordo com que Steve descreveu, pois enfrentou os sentimentos e emoções que costuma suprimir, mas vê a experiência como terapêutica e impossível sem o uso dos alucinógenos. 

Ele tem 60 anos e há 30 tem o diagnóstico de depressão. Nenhum tipo de droga medicamentosa teve o efeito esperado nele. “Você acaba vivendo como um zumbi funcional” descreve ele a experiência com o uso de antidepressivos. 

Depois desse fracasso ele controlava sua depressão a base de yoga, meditação e corrida. Mas se inscreveu assim que soube do estudo. Foi um ano de espera e vários critérios para ser escolhido, como mostrar que outros antidepressivos não tiveram sucesso e que não possuía outros transtornos mentais como psicose, que deixaria o uso de alucinógenos muito arriscado.

Compartilhe: