Cantores são condenados a prisão no Egito por videoclipe que “viola os valores da família”; entenda

Postado em: 29-04-2022 às 12h41
Por: Cecília Sampaio
Eles deverão cumprir um ano de prisão e pagar uma multa de 10 mil libras egípcias, equivalente a R$ 2,7 mil na cotação atual. | Foto: Reprodução

Os músicos egípcios Hamo Beeka e Omar Kamal foram processados recentemente por, segundo a Justiça do país, “violarem os valores da família” em vídeo publicado no Youtube. Na gravação os artistas cantam acompanhados pela dançarina do ventre brasileira Lurdiana Tejas.

O vídeo em questão foi publicado em outubro de 2020, onde os dois dublam uma música e Lurdiana se aproxima, usando um vestido longo, jaqueta e dança ao lado dos artistas. O vídeo acumula mais de 10 milhões de visualizações. Eles deverão cumprir um ano de prisão e pagar uma multa de 10 mil libras egípcias, equivalente a R$ 2,7 mil na cotação atual.

A BBC revelou que a condenação é resultado de um movimento de repressão do estilo de música eletrônico que vem crescendo no país, chamado de mahraganat. Esse gênero musical vem crescendo por causa da série Cavaleiro da Lua, da Marvel.

A ONG Human Rights Watch diz que o governo do Egito está apostando cada vez mais no que chamam de “valores familiares abusivos e mal definidos” para ter controle das mídias sociais. Pelo menos uma dúzia de influencers foram condenados pela mesma lei.

O Sindicato dos Músicos do país, que é administrado pelo governo, é responsável por impedir que cantores de mahraganat se apresentem em público. Kamal inclusive é apontado por desrespeitar outras normas por utilizar palavras como “álcool” e “haxixe”.

Compartilhe: