Chefe de jornalismo da TV Globo é demitido sob suspeita de participar de esquema de corrupção

Tyndaro Menezes, chefe do departamento de jornalismo investigativo da emissora Globo, foi demitido após uma investigação do MPRJ sobre envolvimento em esquemas de corrupção.

Postado em: 18-05-2022 às 16h38
Por: Victória Vieira
Tyndaro Menezes, chefe do departamento de jornalismo investigativo da emissora Globo, foi demitido após uma investigação do MPRJ sobre envolvimento em esquemas de corrupção | Foto: Divulgação/Emmy

Na terça- feira (17/5), a Rede Globo confirmou a demissão do ex-chefe do departamento de jornalismo investigativo da emissora Tyndaro Menezes. A demissão ocorreu após o jornalista ser mencionado em investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) sobre um esquema de corrupção relacionadas na área da saúde.

A ação teria sido mediada por Ângelo Ribeiro de Almeida Júnior, ex-titular da Delegacia Fazendária fluminense. Ele está sobre investigação por lavagem de dinheiro na compra de materiais médicos para uma rede de hospitais.

De acordo com Gaeco, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPRJ, foram encontrados e-mails combinando valores para dividir com o jornalista. O ex-delegado estaria organizando um esquema de fornecimento de equipamentos hospitalares, juntamente com o empresário Arthur Cézar de Menezes Soares Filho, mais conhecido como “Rei Arthur”.

Continua após a publicidade

Em nota ao Poder360, o Gaeco explicou que a investigação passará nos próximos dias ao Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, por ser considerada uma atribuição federal. “Foram extraídos das medidas cautelares manejadas no decorrer da investigação”, declarou.

No email apreendido, Tydaro Menezes é nomeado como “Tyn”, o trecho a seguir mostra a mensagem que chamou atenção do MPRJ: “Mas precisei ser recepcionado pela outra ponta da operação, para com sorte, ficar com 1% do valor de nota de compra. Se ainda fosse de venda. Ah! E dividir com Tyn obviamente.”

Documento de denúncia apreendido contra Ângelo Ribeiro de Almeida Júnior | Foto: Reprodução

A investigação está em vigor desde 2018 e segundo conversas encontradas em aplicativos de celulares, Sérgio Côrtes, ex-secretário de Saúde da gestão Sérgio Cabral (MDB), também estaria envolvido no esquema com a empresa Rede D’Or, uma das maiores operadoras independente de hospitais do Brasil.  

Tyndaro Menezes manifestou-se ao SBT News, negando as acusações, confira:

“A tentativa do empresário e do delegado de vender produtos hospitalares nunca foi concluída. Nenhuma empresa chegou a sequer ser aberta, portanto, eu não poderia ter recebido nenhuma comissão. Não negociei valores, percentuais ou coisa do tipo. Se cometi algum erro foi ético por ter apresentado o empresário ao delegado. Não sou acusado de nada ilícito ou ilegal.”

Na noite de ontem, a rede Globo confirmou a demissão do jornalista, entretanto, disse que não irá comentar questões que envolvam denúncias conflitos de interesse, fraudes, subornos ou desvios de conduta. “O profissional citado não está mais na empresa. A Globo não comenta questões relacionadas a Compliance. Reitera que tem um Código de Ética, que deve ser seguido por todos os colaboradores, e uma ouvidoria pronta para receber quaisquer relatos de violação. Todo relato é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento e as medidas necessárias são adotadas”, comentou.

Veja Também