Comer antes de dormir pode aumentar risco de ter um AVC? Entenda os riscos da prática

Postado em: 19-05-2022 às 18h57
Por: Ana Bárbara Quêtto
Ingerir alimentos tarde da noite pode gerar impacto significativo na pressão arterial. | Foto: Reprodução.

Para àquela parcela da população que passa o dia fora de casa trabalhando, ou estudando, o jantar se tornou a refeição mais importante do dia. Entretanto, segundo especialistas, comer à noite pode alterar o organismo e os processor digestivos, principalmente se a comida for ingerida em abundancia e logo antes de dormir.

A professora de Cardiologia da Universidade de Dokuz (Turquia), Ebru Ozpelit, apresentou uma pesquisa que resultados afirmas que a vida moderna está criando “hábitos de alimentação erráticos”, ao pular o café da manhã e compensar com a janta. “Devemos definir a frequência ideal e a hora dos alimentos”, disse Ozpelit.

De acordo com uma pesquisa publicada na revista científica Nutrients, feito por cientistas da Universidade de Osaka, no Japão, e da Universidade de Minia, no Egito, o horário da janta pode estar relacionada às chances de você ter um derrame.

Os participantes da pesquisa foram divididos em grupos: os que jantavam antes das 20 horas, depois das 20 horas e os irregulares, que se alimentavam cada dia em um horário. Fizeram parte do estudo, 28 mil homens e 43 mil mulheres, entre 40 e 79 anos.

O resultado mostrou que as pessoas com horários irregulares estão mais propensas à morrer por Acidente Vascular Cerebral (AVC) Hemorrágico. Especialmente se o indivíduo estiver acima do peso, podendo gerar outros tipos de AVC, doença cronária, ou outras condições cardiovasculares.

“Um horário de jantar irregular está associado a maior gordura e Índice de Massa Corporal (IMC), e comer em horários irregulares pode ser associado ao aumento do estresse oxidativo”, justificam os pesquisadores. 

A pesquisa é observacional, logo, não teve uma relação direta de causa e efeito entre o horário do jantar e a ocorrência de derrames. Mas, as informações podem servir de base para outros estudos práticos que investiguem o assunto. As informações do estudo foram coletadas por 19 anos.

Compartilhe: