Marketing digital cresce cada vez mais no mercado da comunicação

Postado em: 29-05-2022 às 10h00
Por: Victória Vieira
Nova área tem despertado interesse de universitários interessados em ingressar no mercado de trabalho com o término do curso superior | Foto: Reprodução

O mercado de trabalho na trajetória dos jovens é marcado por diversas inseguranças, medos e obstáculos. De acordo com dados do PoderData, a taxa de desemprego entre os jovens segue o dobro da média geral, atualmente de 11,1%. O Brasil tem 12 milhões de desempregados.

Essa situação traz preocupação na formação do mercado de trabalho, já que pessoas com idade de 18 a 24 anos ainda estão no processo de descoberta do seu propósito de vida, quais rumos querem e devem seguir para identificar seus pontos fortes e fracos, pontos que influenciam em como chegar à experiência profissional.

Com o desemprego em alta no País, a principal preocupação dos jovens é saber se terão um espaço no mercado de trabalho, inclusive aqueles que estão prestes a concluir o curso superior. Na segunda-feira (16), uma palestra promovida no auditório de uma universidade de Goiânia debateu novas carreiras no ramo da comunicação, com inclusão do considerado promissor setor de marketing.

O objetivo do bate-papo foi mostrar que, eventualmente, há diferentes caminhos na comunicação jornalística e no empreendedorismo. A gestora de redes sociais Lara Bispo, de 23 anos, conversou a respeito dos desafios nessa nova área e deu dicas para os universitários presentes no encontro.

O empreendedorismo no mercado

Para alguns universitários, a perspectiva está somente na faculdade. Quando saem para o mundo, ficam perdidos sobre o que irão fazer. Nessas situações, essas pessoas estão suscetíveis a enfrentar o desencadeamento de um possível processo de ansiedade provocado pela necessidade de atuar na sua área de formação. Para chegar a um emprego na área, é preciso passar por algum tipo de seleção, o que pode deixar aquele novo profissional com dúvida e se tornar uma necessidade cansativa.

Lara Bispo, de 23 anos, atua como gestora de redes sociais | Foto: Arquivo pessoal

Na palestra, a gestora em redes sociais falou sobre sua trajetória desde a faculdade e deu dicas aos alunos sobre como um estudante pode superar dificuldades de escolha sobre o futuro profissional. Lara também destacou virtudes do marketing digital com base em sua experiência profissional na área.

Para trabalhar com gestão em redes sociais, é preciso possuir características como: criatividade, gostar de redes sociais, inovação, liderança, acompanhamento de tendências, capacidade de gerenciar crises, perfil empreendedor e, principalmente, planejamento e organização.

Um social media produz notícias, artigos, conteúdos informativos, de entretenimento, faz roteiros. Como demonstrou a profissional da área, não se trata apenas de fazer postagens em redes sociais. “Escolher clientes com valores que você acredita irá fazer com que conteúdos importantes cheguem até as pessoas. Faz o cliente estar visível diante o mercado de trabalho”, acrescenta a gestora.

De acordo com a palestrante, umas das grandes vantagens de trabalhar com o empreendedorismo é sobre ter sua liberdade ao atender vários clientes, trabalhar da sua forma, ter o poder de escolher o horário e a liberdade geográfica por “ser o seu próprio chefe”.

Para os universitários de um curso de Comunicação Social, o planejamento, os conteúdos e os relatórios fazem parte do processo acadêmico. Essas são questões estudadas e praticadas que só um profissional da área consegue oferecer com conhecimento e qualidade técnica.

Dificuldades na área e pandemia

Mesmo com a perspectiva positiva abordada pela gestora sobre o empreendedorismo e o marketing digital, nem tudo é tão fácil. “O maior desafio é como começar, como atrair os clientes ideais. Muitas pessoas ficam inseguras, muitos acreditam que não há uma garantia de CLT, um salário ideal e as férias garantidas. Mas é possível.”

De acordo com palestrante, isso é possível com a construção de uma reserva financeira para momentos de emergência. “Por isso é importante tirar um tempo para organizar suas férias, aposentadoria. O grande desafio mesmo é em como conseguir empreender, crescer como profissional e não passar o ‘perrengue’ ao longo da profissão”, pontua.

Os desafios lançados pela pandemia na busca por espaço

A pandemia afetou grande parte do centro econômico. Os estabelecimentos e empresas fecharam as portas e várias pessoas tiveram que encontrar novas maneiras de lucro. Para Lara, o início da pandemia trouxe dificuldades, mas também foi uma forma de crescimento profissional. Ela terminou seu ano acadêmico em 19 de fevereiro de 2020, entrou direto para uma agência como auxiliar de social media e, seis dias depois, foi confirmado o primeiro caso de Covid-19 no Brasil.

“[A pandemia] Trouxe vários imprevistos. Porém, eu consegui contornar através da minha profissão. Trabalhei em home office, cuidava de tudo a distância. Com as empresas fechando suas portas e precisando vender on-line, vi isso como uma oportunidade de empreender. Comecei a produzir conteúdos relevantes para elas e atrair clientes. A minha profissão me ajudou a contornar os prejuízos profissionais que muitas pessoas tiveram durante esse período”, relata. 

O que esperar…

A gestora declara que as redes sociais eram como uma extensão das outras áreas, não vistas como algo individual. Lara diz que chegou a acreditar que, assim que se formasse, iria atuar em veículos tradicionais de comunicação.

Perguntada sobre conselhos que poderia dar a quem logo vai chegar ao mercado de trabalho, Lara orientou a busca por estágios na área em que o estudante pretende atuar, de preferência passando por todos os tipos de funções. A gestora chegou a trabalhar na assessoria de imprensa na Enel Goiás e na redação de um jornal da capital.

“Foi uma experiência que eu precisava, pois vi que aquilo não dava para mim. Eu queria fazer tudo sem defeitos e às vezes não dava porque você tinha que apurar rápido e não dava para escrever perfeitamente, completo e nos mínimos detalhes”, explicou Lara. “Uma coisa que pensamos enquanto iniciantes no mercado de trabalho é que não vamos errar. Só que é exatamente o contrário, nós vamos errar sim! E é por isso que é tão importante fazer estágio e ter experiência”, observou.

Compartilhe: