Polícia prende três suspeitos de assassinato em Goiânia e apreende R$ 250 mil em drogas

Postado em: 15-06-2022 às 09h20
Por: Francisco Costa
Motivação do crime foi disputa de ponto para venda de drogas na região dos motéis (Foto: Polícia Civil)

A Polícia Civil de Goiás prendeu em flagrante três suspeitos de envolvimento na morte Agnaldo Alves de Almeida (o Mosquito), 43 anos, nesta semana. O crime aconteceu no último sábado (11), nas margens da Av. Marginal Leste, entre a GO 020 e o Parque Atheneu, em Goiânia.

De acordo com a polícia, a motivação do crime foi disputa de ponto para venda de drogas na região dos motéis (próximo a BR 153), Jardim Bela Vista. A vítima vendia espetinho no local e aproveitava para comercializar drogas, segundo a corporação.

Por causa disso, a PC informa que ele se desentendeu com o chefe do tráfico da região, que acionou duas pessoas para cometer o crime. Uma delas, no dia do delito, pegou a vítima na casa dela, por volta das 5h30, com a desculpa que iriam buscar drogas. Junto com o comparsa, eles levaram Agnaldo para um local ermo e o mataram com quatro disparos de arma de fogo nas costas, próximo a Av. Marginal Leste.

O primeiro deles foi capturado em Itaberaí. Na ocasião, os agentes também apreenderam o veículo utilizado no crime, um Fiat Siena cinza, e um revólver calibre 38 que foi usado nos disparos. Em seguida, foi a vez do segundo suspeito ser preso para só então chegarem ao mandante, que foi detido em uma distribuidora da capital com diversas porções de cocaína acondicionadas para venda e R$ 830 em dinheiro.

Ação continuou

A Polícia Civil, então, foi à casa onde o chefe do tráfico escondia os entorpecentes e apreendeu mais três tabletes de cocaína prensada e outras porções, além de sacos para guardar a droga. O morador daquele imóvel também foi preso e confessou que o homem usava o local como depósito e contribuía com o aluguel.

Segundo a corporação, a droga apreendida vale mais de R$ 250 mil. O delegado João Paulo Mendes apresentará os suspeitos e dará mais detalhes sobre o caso às 10h30 desta quarta-feira (15).

Compartilhe: