Elba Ramalho interrompe ato político em show; relembre manifestações de outros cantores

Durante um show, neste final de semana (26/6), a cantora Elba Ramalho tentou interromper manifestação do público contra o atual presidente Jair

Postado em: 27-06-2022 às 17h39
Por: Ana Bárbara Quêtto
"Cada um tem o presidente que merece, isso é um fato”, respondeu Elba. | Foto: Reprodução

Durante um show, neste final de semana (26/6), a cantora Elba Ramalho tentou interromper manifestação do público contra o atual presidente Jair Bolsonaro (PL). Entre músicas, Elba falava sobre o retorno do São João no nordeste, após dois anos de pandemia e distanciamento social. Quando a plateia começou a gritar “Fora, Bolsonaro”.

Na mesa hora, a cantora dispara: “Não, não quero fazer política, desculpa. Isso aqui é um show de São João, não é um comício”. Ela, então, começa a mostrar uma ação feita por um dos patrocinadores do show, mas a exibição passa por problemas técnicos. Assim, o público volta a se manifestar. “Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula!”, grita a plateia.

“Tô esperando, né? A plateia está se manifestando. Como a gente vive em um país democrático, tem que deixar eles se manifestarem. Cada um tem o presidente que merece, isso é um fato”, respondeu Elba.

Continua após a publicidade

Nas redes sociais, os internautas não gostaram da atitude da artista. Veja:

Com o fim dos protestos, a cantora prosseguiu o show. Diferente de Elba, outros cantores brasileiros têm se manifestado em relação à política do país.

Protestos

O Rock in Rio, em Lisboa, que ocorreu na tarde de ontem (26/6), foi marcado por diversos protestos contra Jair Bolsonaro. O cantor, Johnny Hooker falou sobre o descaso do governo brasileiro com as vacinas da Covid-19. Saiba mais.

“Por todos que morreram na pandemia com esse governo assassino, nós vamos fazer justiça. Não vamos esquecer vocês”, protestou falando sobre as vítimas da Covid-19 .

Após recriar o mesmo show que apresentou no Coachella, Anitta deu uma entrevista e mencionou a Amazônia: “A Amazônia é uma grande terra de ninguém, uma grande bagunça, lá acontece de tudo, ninguém vê nada”.

“É uma coisa que precisa de atenção, e realmente quem se expõe para falar acaba morto, acaba com a família torturada, acaba tomando um cala boca de algum jeito”, disse.

No último Lollapalooza, quando Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proibiu manifestações políticas no festival, inúmeros artistas brasileiros se pronunciaram.

Durante a apresentação do cantor, Djonga, ele xingou Bolsonaro diversas vezes. “Pensa em uma pessoa que vocês odeiam muito. Não pode falar? Então vamos falar que eu gosto de desobedecer“, disse em referência a decisão do TSE.

Ludmilla, que fez uma rápida partizipação no show de Kehlani, não saiu do palco antes de gritar “Fora Bolsonaro”. “A gente não pode retroceder e a única forma disso não acontecer é votando galera!”, afirmou.

Veja Também