Dia do Homem: data comemorativa alerta sobre prevenção e autocuidado relacionados à saúde masculina

De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), dados mostram somente este ano, 312 milhões de homens foram atendidos.

Postado em: 15-07-2022 às 16h16
Por: Victória Vieira
Poucos homens apresentam o autocuidado necessário para ter uma qualidade de vida | Foto: Reprodução/ Benoit Tessier/Reuters

Nesta sexta-feira (15/7) é comemorado o Dia Internacional do Homem. A data é voltada para a conscientização ampliada de autocuidados relacionados à saúde dos homens, além de diversos assuntos sobre a autoestima e comportamento.

Poucos homens apresentam o autocuidado necessário para ter uma qualidade de vida. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), dados mostram que somente este ano, 312 milhões de homens foram atendidos. Já as mulheres ultrapassam o número de 370 milhões.

A diferença analisada nos levantamentos está atrelada ao fato de diversos homens ainda terem uma mentalidade ultrapassada, ou seja, tratarem as idas e consultas médicas como algo “não másculo”.

Continua após a publicidade

“Ainda há um certo tabu, muitas vezes os homens não têm a cultura do autocuidado e ir ao médico é visto como sinal de fraqueza. Há também a questão cultural. A menina é levada pela mãe ao ginecologista desde a primeira menstruação, enquanto o homem não vai ao médico depois que ele não precisa mais de acompanhamento regular com pediatra. Esse é um processo que precisamos trabalhar ao longo de gerações e espero que possamos ver um aumento da ida dos homens aos consultórios para fazer acompanhamento de rotina com o urologista”, destaca o coordenador do Departamento de Andrologia, Reprodução e Sexualidade da SBU, Eduardo Miranda.

Além de ideologias machistas, o medo e a desinformação são os principais empecilhos para o cuidado da saúde masculina. Entretanto, o oncologista Felipe Lott ressalta a importância e eficácia das campanhas preventivas realizadas nesse dia, pois elas promovem as mudanças nos comportamentos, gerando um novo aprendizado e procura de consultas médicas.

“As mulheres estão mais habituadas a realizar exames preventivos anuais e se preocupam mais com a saúde. Elas geralmente marcam as consultas para seus maridos. Mas os homens têm procurado mais o urologista por uma maior conscientização por meio de campanhas, por exemplo”, informa.

Prevenção e dicas

Com informações baseadas pelos médicos Gustavo Cardoso Guimarães e Eduardo Miranda, confira as cinco dicas principais para a prevenção de doenças:

  • Fazer exames de rotina

A partir dos 30 anos é recomendado fazer regularmente check-ups, afinal, eles são uma das forma de prevenir as doenças e condições que necessitam maiores cuidados. De dois em dois anos, devem ser feitas avaliações sobre a pressão arterial, índice de massa corporal (IMC) e vacinação contra hepatite B. Após os 50 anos, o ideal é avaliar a próstata.

“Para os casos com histórico familiar de câncer de próstata, o acompanhamento deve iniciar aos 45 anos”, alerta o médico.

O avanço na idade faz com que as doenças da próstata e disfunções sexuais apareçam nos homens. Por isso, dependendo da faixa etária, muitos deixam de visitar o médico.

  • Estar atento ao calendário do exame de próstata

Miranda explica que a partir dos 40 anos, o crescimento benigno da próstata e sintomas urinários são inevitáveis. É para isso que servem os exames rotineiros para prevenção do câncer de próstata

“A partir dos 50 anos, são comuns queixas de disfunção erétil e os sintomas urinários vão aumentando progressivamente”, disse o médico.

O objetivo do exame é analisar a presença de alterações no formato e consistência da próstata. A avaliação precisa ser complementada para definir se alguma alteração é compatível com hiperplasia, infecções, inflamações ou câncer.

  • Câncer de mama também podem afetar homens

Os casos são raros, mas a possibilidade existe. Isso acontece porque os homens também possuem glândulas mamárias e hormônios femininos, mesmo que sejam baixos.

“Justamente por ser raro, não existe rastreamento de câncer de mama para homens. Ao primeiro sinal de um caroço na mama, inchaço próximo do mamilo, dor unilateral ou secreção pelo mamilo, é importante agendar uma consulta com um médico. É mais provável que seja uma doença benigna, mas não vale a pena arriscar”, contou Gustavo.

  • Preservativos para a prática de sexo seguro

O uso de preservativos além de evitar doenças sexualmente transmissíveis, previne a infecção da HIV. Dados divulgados pelo Ministério da Saúde alegam que o Brasil registrou 40 mil novos casos de Aids, em média, todos os anos desde 2018.

“Entre 2010 e junho de 2017, foram contabilizados 342.531 casos de Sífilis Adquirida – transmitida através de relação sexual desprotegida. Vale destacar ainda que o uso de preservativo durante a relação sexual é importante, mas essa medida não previne a infecção pelo HPV, pois o vírus pode estar presente em áreas não protegidas pela camisinha, como vulva, região pubiana, perineal ou bolsa escrotal”, relata o especialista.

  • Cuidar da saúde mental

Pouco se fala sobre dar atenção à saúde mental. Infelizmente os estigmas ainda são negativos tratando-se de sentimentos dos homens, isto é, o famoso ditado: “Homem não chora”. Então, a melhor medida é encontrar um tempo para participar de consultas com psicólogos.

“O estigma negativo sobre os sentimentos masculinos prevalece, enquanto a condição emocional deteriora. Por isso mesmo, a maioria ainda encontra inúmeras barreiras na hora de buscar ajuda profissional para falar sobre sentimentos. A resposta inicial para qualquer vulnerabilidade psicológica é esconder”, enfatiza Guimarães.

Veja Também