Aos 37 anos de vida, mulheres descobrem que foram trocadas na maternidade

A Santa Casa informou que cometeu um erro, pois as duas mães tinham a mesma idade e nomes parecidos.

Postado em: 01-08-2022 às 13h41
Por: Victória Vieira
Mônica Tatiane Ribeiro e Thaísa Nascimento Fernandez descobriram que foram trocadas na maternidade | Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal

Parece história de filme, mas não é. Duas mulheres de 37 anos, Mônica Tatiane Ribeiro e Thaísa Nascimento Fernandez descobriram que foram trocadas na maternidade da Santa Casa em Sertãozinho, no interior de São Paulo.

Tudo começou quando o suposto pai biológico de Tatiane faleceu em outubro do ano passado, por questões de inventário, foi necessário que ela fosse se submetesse a um exame de DNA e o resultado mostrou que o genoma não era compatível com a de sua mãe, Maria de Lurdes, e seu pai.

“Quando o laboratório me deu o resultado de incompatibilidade eu não conseguia acreditar. Nunca tivemos nenhuma desconfiança de que eu não fosse filha da minha mãe. Fizemos dois exames, em locais diferentes, para ter a certeza”, contou Tatiane.

Continua após a publicidade

Após os resultados, ela procurou a unidade hospitalar onde foi concebida. A Santa Casa informou que oito meninas haviam nascido no dia de Tatiane. Eles informaram que cometeram um erro, pois as duas mães tinham a mesma idade e nomes parecidos (Maria Regina e Maria de Lurdes).

“O hospital foi por exclusão. Viu qual era a outra bebê que havia nascido no horário mais próximo e descobriu que a mãe chamava Maria Regina, nome parecido com o da minha mãe [de criação], que é Maria de Lurdes, e elas tinham a mesma idade”, explicou.

A Santa Casa ligou para Maria Regina, de 56 anos, mãe de Thaísa Nascimento Fernandez, filha biológica de Maria de Lurdes. O provedor da instituição avisou que precisava falar sobre um assunto pessoal e urgente com as mães. Regina disse que como não estava na região naquele momento, pediu que a reunião fosse online.

“Eu imaginei que poderia ser alguma cobrança tardia de quando minha mãe foi hospitalizada e por estar bastante atarefada, demorei uma semana para retornar o contato”, afirma a corretora de imóveis. “Quando ele me falou que podia ter ocorrido a troca dos bebês, foi um choque porque jamais imaginei esse tipo de situação”, enfatiza.

Regina e Tatiane realizaram o teste de DNA e descobriram que os genomas eram compatíveis. “A nossa semelhança física é notória, quando eu a vi ali, tive a certeza da troca e comecei a chorar”, relata a mãe biológica. O resultado de Thaísa também não foi diferente. O laboratório informou que o resultado deu 99,9% de compatibilidade com Maria de Lurdes.

“Passa um filme na sua cabeça e você começa a lembrar de tudo o que aconteceu naquele dia. Recordo que a minha bebê chegou no quarto sem a pulseira de identificação e quando questionei, a enfermeira ela disse que havia caído. É um misto de sensações. Se abre um grande vazio, você fica triste e feliz porque é sua filha, mas, ao mesmo tempo não é. A vida vira de ponta-cabeça”, desabafa Regina.

As famílias declaram que se conheceram e estão tentando lidar com a situação. A mãe biológica de Tatiana revelou a felicidade em receber mais membros na sua vida, já que a confeiteira têm 3 filhos.

“Ficamos com medo de ela ter um surto [Thaísa luta contra doenças genéticas, epilepsia e esquizofrenia] devido a toda essa confusão de sentimentos que a situação nos expõe. Mas é como eu costumo falar: as pessoas chegam na nossa vida para somar e assim será com Tatiane e com toda a família dela”, enunciou.

Veja Também