Sexta-feira, 27 de janeiro de 2023

Amazon inicia rodada de demissões que deve afetar mais de 18 mil funcionários

Por de trás da decisão da varejista há uma aparente recessão econômica que pressiona o crescimento das vendas online

Postado em: 19-01-2023 às 09h50
Por: Ícaro Gonçalves
Por de trás da decisão da varejista há uma aparente recessão econômica que pressiona o crescimento das vendas online | Foto: Reprodução

A multinacional de tecnologia Amazon iniciou na quarta-feira mais uma rodada de demissões em massa. Dessa vez, são esperados cerca de 18 mil desligamentos em todo mundo antes da empresa finalizar o ano fiscal de 2022. O número expressivo marca o maior layoff da companhia.

Por de trás da decisão da varejista há uma aparente recessão econômica que pressiona o crescimento das vendas online e aponta para clientes com poder de compra enfraquecidos. Em uma mensagem ao grupo, o CEO Andy Jassy disse que a empresa está enfrentando uma “economia incerta” depois de contratar “rapidamente” nos últimos anos.

As demissões começaram no ano passado e foram feitas inicialmente no grupo de dispositivos e serviços da Amazon, que constrói a assistente digital Alexa e os alto-falantes inteligentes Echo.

Continua após a publicidade

A última rodada afetará principalmente a divisão de varejo e recursos humanos da varejista. Embora os cortes representem apenas cerca de 1% da força de trabalho total, eles correspondem a cerca de 6% dos 350 mil funcionários corporativos da Amazon em todo o mundo.

O que é layoff

O termo em inglês pode ser realmente traduzido como “demitir” (ao pé da letra), mas, na prática, significa um “período de inatividade” com suspensão de contratos de trabalho. O regime é encarado como forma de evitar demissões, apesar de ainda ser muito confundido com os cortes no quadro de funcionários.

Leia também: Xiaomi demite funcionários em ano de queda na venda de smartphones

Veja Também