Quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

Cerca de 1 milhão de franceses vão às ruas em protesto contra nova idade para aposentadoria

As greves interromperam serviços de trem, voos, escolas entre outros setores

Postado em: 20-01-2023 às 10h22
Por: Ícaro Gonçalves
As greves interromperam serviços de trem, voos, escolas entre outros setores | Foto: Reprodução/La Forge

Aproximadamente um milhão de franceses foram às ruas na quinta-feira (19/1) em protesto contra uma proposta do governo para aumentar a idade das aposentadorias. As greves interromperam serviços de trem, voos, escolas entre outros setores.

Foram registradas manifestações nas cidades francesas de Paris, Marselha, Toulouse, Nantes e Nice. A Torre Eiffel foi fechada para visitantes. Na capital, cerca de 80 mil pessoas se reuniram em protesto, onde pequenos grupos de manifestantes jogaram garrafas, pedras e fogos de artifício contra a tropa de choque, informou o Ministério do Interior da França.

As reformas previdenciárias anunciadas pelo governo do presidente Emmanuel Macron preveem que os cidadãos franceses deverão trabalhar até os 64 anos idade para se qualificarem para uma pensão completa do estado. A idade atual é de 62 anos.

Continua após a publicidade

Segundo o governo francês, isso é necessário para enfrentar o déficit de fundos de pensão. As reformas, porém, irritaram os trabalhadores em um momento em que o custo de vida está subindo.

Custo de vida

As reformas propostas por Macron ocorrem quando os trabalhadores na França, como em outros lugares da Europa, enfrentam sucessivos aumentos nas contas de alimentos e energia.

Milhares participaram de manifestações em massa nas ruas de Paris no ano passado protestando contra o custo de vida, e greves de trabalhadores exigindo salários mais altos causaram o esgotamento das bombas de combustível em todo o país há alguns meses.

“Essa reforma cai em um momento de muita raiva, muita frustração, muito cansaço. Na verdade, está chegando no pior momento ”, disse o chefe do sindicato CFE-CGC, François Hommeril, em entrevista à rede CNN.

Falando a jornalistas na Espanha na quinta-feira, Macron defendeu as mudanças como “justas e responsáveis”. “Se você quer que o pacto entre as gerações seja justo, devemos prosseguir com essa reforma”, acrescentou.

A França gastou quase 14% do PIB em pensões estatais em 2018, mais do que a maioria dos outros países, de acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

Veja Também