Sábado, 18 de janeiro de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cidades

Lei que proíbe a distribuição de utensílios descartáveis em SP é sancionada

Postado em: 13-01-2020 às 15h55
A lei começa a valer a partir do dia 1º de Janeiro de 2021 - Foto: Divulgação

Igor Afonso

Lei que proíbe o fornecimento de copos, talheres e pratos de plástico em São Paulo, foi sancionada hoje, 13, pelo prefeito Bruno Covas.

Com o funcionamento da lei, não os itens não só deixarão de serem oferecidos por bares e restaurantes como também não serão disponibilizados no comércio e em supermercados para uso doméstico.

A nova legislação entra em vigor em 1º de janeiro de 2021 e ainda neste mês, a prefeitura deve regulamentar a lei de proibição dos canudos que foi aprovada em junho de 2019. 

O vereador Xexeu Tripoli (PV), autor do projeto de lei sancionado hoje, disse que 16% do lixo gerado pelo município é de plástico em diversas formas. Na justificativa da proposta, o vereador defendeu que os copos e talheres descartáveis sejam substituídos por itens de material biodegradável ou reutilizável.

Covas disse que antes mesmo da regulamentação a proibição dos canudos plásticos já tem gerado impactos positivos na cidade. “Ainda sem mesmo a regulamentação ter saído, hoje, praticamente, não se acha mais canudo que não seja biodegradável ou de outra alternativa na cidade. Porque, muito mais do que a sanção pecuniária ou a fiscalização, a lei transformou a cultura da nossa população”, ressaltou.

As empresas não gostaram da ideia e saíram em buscas de outras soluções que não seja a proibição total. A representante da indústria de plástico defendeu que em vez de proibir o uso dos materiais, uma política de redução no consumo e garantia da reciclagem após o descarte, fosse criada. “A indústria de transformação e reciclagem de material plástico está disposta a contribuir para a construção de soluções em conjunto”, diz o comunicado da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast).

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar