A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Use of undefined constant v - assumed 'v'

Filename: controllers/noticia.php

Line Number: 85

XADREZ - Policarpo: “Atacar Iris Rezende também seria me atacar”
Quarta-feira, 13 de novembro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Xadrez

Policarpo: “Atacar Iris Rezende também seria me atacar”

Postado em: 04-11-2019 às 06h00
"Até porque atacar o Iris Rezende também seria me atacar nesse momento, porque eu fiz parte desse governo, ajudei e continuo ajudando", explica

O presidente da Câmara Municipal de Goiânia, vereador Romário Policarpo (Patriota), mantém pré-candidatura a prefeito para a disputa do pleito de 2020, mas confirma posicionamento aliado ao prefeito Iris Rezende (MDB), apesar de ações contrárias às indicações da base na Casa, em rota de colisão com o líder, Oseias Varão. Relação administrativa à parte, pontual a projetos polêmicos como o plano diretor, na perspectiva política e eleitoral, Romário garante que, se for candidato, não criticará a gestão de Iris. “Apresentaria uma alternativa para a cidade, sem nenhum tipo de ataque. Até porque atacar o Iris Rezende também seria me atacar nesse momento, porque eu fiz parte desse governo, ajudei e continuo ajudando por acreditar que Iris, ao final do mandato, terá feito sua melhor gestão”, afirma. Policarpo lidera grupo de vereadores que buscam protagonismo no processo.

Meta definida

Depois de idas e vindas, o grupo de vereadores que buscava bancar candidato próprio em Goiânia agora insiste para já garantir a indicação da vice de Iris. Internamente, a disputa com bajulação ao prefeito é intensa.

Às voltas

A memória não deixa escapar que o mesmo grupo de vereadores fazia oposição ao Paço, com destaque à eleição que levou Romário à presidência, em dezembro de 2018, e isolou a base, àquela época, a 11 vereadores.

Divisão

Mesmo próximo ao grupo de Romário, que busca a vice de Iris, o deputado federal Elias Vaz, manterá candidatura, com apoio integral da direção nacional do PSB.

Prazo estendido

O presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSB), já não define o dia em que a PEC da Reforma da Previdência será lida em plenário para ter prazo de tramitação iniciado. Antes, era prevista para amanhã.

Dificuldades

Como antecipado aqui, sindicatos de servidores rejeitam as novas condições para tempo de contribuição e idade mínima, mas também o fim do quinquênio, que chamam de “jabuti do próprio governo”.

Ao debate

Lissauer ainda conversa com outros poderes para concluir se a leitura pode ou não ser feita antes da promulgação da reforma nacional, pelo Congresso. “É uma consulta que ainda fazemos e não temos pressa”, avisa.

Imposição judicial

Após decisão judicial, a Secretaria Estadual de Administração (Sead) cumpre hoje a convocação de candidatos aprovados no cadastro de reserva do concurso da extinta Agência Goiana de Negócios Públicos (Aganp), de 2006. 

Orientação

A determinação é resultado de Ação Civil e despacho da PGE confirma o cumprimento. Aprovados esperam chamamento agora e outro em abril.

CURTAS

- O presidente Bolsonaro deve ir ao Congresso Nacional amanhã para entregar conjunto de reformas.

- Pacote de medidas, elaborado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, busca estimular a geração de empregos.

- Deputados devem votar amanhã projeto que amplia composição do Fundo de Reaparelhamento do TJGO. 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar