Coluna

A estratégia pré-eleitoral de Caiado míngua oposição

Publicado por: Yago Sales | Postado em: 26 de março de 2022

O governador Ronaldo Caiado (UB) não parou um dia sequer de se fortalecer com a intenção de se reeleger em outubro. Ronaldo Caiado cercou aliados de Gustavo Mendanha (sem partido) e, não se pode ignorar, do ex-governador Marconi Perillo (PSDB), alcançando quadros que, tempos atrás, jamais se aliariam a ele. Depois de, quebrando as tradições de quem está no poder, ter ido à casa do adversário, no caso a sede do MDB de Daniel Vilela e convidá-lo a caminhar com ele, Caiado tem se encontrado com nomes que podem, unanimemente, lhe dar uma vitória com os pés nas costas. A estratégia, como dizem aliados ouvidos pela Xadrez, é Caiado ouvir e falar àqueles que estão mais próximos dos eleitores: ou seja, os vereadores. Nesta sexta-feira, uma romaria de vereadores esteve no Palácio das Esmeraldas em encontro com o governador. Neste sábado, Caiado reservou para viajar a Jaraguá, onde marcará o início da pré-campanha eleitoral. Lá, um ninho do tucanato muito afoito com a política caiadista. Mendanha e Perillo parecem petrificados ante às movimentações do governador. Enquanto Caiado se articula há mais de um ano, Perillo não decidiu a qual cargo disputar e, na peleja, Mendanha não tem um partido definido para tentar se consolidar como uma oposição competitiva. Ao contrário, tem perdido siglas que o apoiavam e que estão se aglutinando em torno de Caiado. 

Amém?

Membros do MST protestaram na sexta–feira em frente ao Ministério da Educação para chamar atenção sobre esquema de corrupção que favorece pastores dentro da pasta. 

Escândalo

O caso veio à tona depois que o prefeito de Bonfinópolis,  Kelton Pinheiro, afirmou que um pastor cobrava propina para facilitar verba pública no que se convencionou chamar de gabinete paralelo no MEC. 

Bolsonarismo

O grupo envolvido no esquema colocou o nome do pastor Gilmar Santos, um dos principais pregadores pentecostais das últimas décadas, no centro do escândalo. Ele é considerado amigo do ministro Milton Ribeiro e de do presidente Jair Bolsonaro.

Grila

O mega empresário do setor imobiliário do DF, Paulo Octávio, deve deixar a presidência do PSB no DF e se filiar ao Avante.

Curta

Em meio ao caos, o presidente do Imas, Jeferson Leite da Silva, se reuniu nesta sexta-feira com vereadores de Goiânia para explicar a crise.

Compartilhe: