Coluna

Antecipação de chapa impediu fortalecimento de Ronaldo Caiado

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 01 de agosto de 2018

A primeira chapa majoritária definida com vistas à eleição
de 2018, encabeçada pelo senador Ronaldo Caiado (DEM), com Lincoln Tejota
(PROS) na vice, Wilder Morais (DEM) e Jorge Kajuru (PRP) ao Senado, foi
apresentada quase um mês antes do prazo final de negociações, próximo domingo
(5). A antecipação finalizou as conversas, até então intensas, com partidos
interessados em compor com o projeto do candidato que lidera as pesquisas. De
lá para cá, enquanto a base governista fortaleceu estrutura em torno de José
Eliton (PSDB) e Daniel Vilela (MDB) afunilou aproximação com PP e PRB, o que
daria a ele o segundo maior tempo de propaganda no Rádio e na TV, atrás dos
tucanos, Caiado ficou parado nas articulações. “Sendo muito franco, entendo
que, se tivéssemos deixado uma vaga na chapa, talvez ainda agregássemos novos
partidos junto com o senador. Tenho tranquilidade para dizer isso. Seriam partidos
com quem conversávamos e que têm chapas completas para deputado estadual e
federal”, aponta o coordenador da campanha, Adib Elias (MDB).

Bateu, levou

Adib rebate as críticas de Daniel Vilela, que apontar a
chapa de Caiado como plano B do governo. “Respeito muito o Daniel e não quero
macular sua imagem, mas isso é balela de campanha eleitoral”.

Comparação

“Se o PP e o PSD, que estavam lá [no governo], forem apoiar
o Daniel ele não vai querer? Essa é uma discussão inerte”, questiona. O
emedebista fica na prefeitura de Catalão até dia 15, quando sairá de licença.

Justiça anula
decretão

O juiz Fabiano Abel de Aragão Fernandes, acolheu requerimento
do Ministério Público e anulou o decreto municipal baixado em Goiânia no ano de
2014 e renovado em 2015, que suspendeu benefícios de servidores municipais
garantidos por lei. A proibição foi baixada pelo então prefeito da Capital, o
falecido Paulo Garcia. A decisão da 2º Vara da Fazenda Pública Municipal teve
como base uma ação civil pública por improbidade administrativa proposta pela
promotora Villis Marra contra o ex-prefeito, o Município de Goiânia e o atual prefeito
Iris Rezende (foto). Os decretos teriam sido expedidos sob prerrogativa de
equilibrar as contas públicas, suspendendo a concessão de gratificações e
licenças-prêmio, além de promoções, progressões, adicionais de produtividade e
prêmios especiais de produção extra, pagamento de horas extras e participação
em cursos e congressos por interesse particular. A decisão aponta que a gestão poderia
reduzir comissionados ou exonerar servidores não estáveis para cortar gastos,
mas preferiu suspender vantagens garantidas em lei.

CURTAS

Impacto – A
prefeitura ainda não tem cálculo fechado sobre os valores dos benefícios
acumulados. Segundo a sentença, os pleitos serão todos desbloqueados.

Correção – O MPF-GO
ajuizou ação com pedido de liminar contra a União e Cebraspe para cobrar cotas
para negros no concurso público da Polícia Federal (PF).

Retorno – A PGR pediu
ao STF o desarquivamento de inquérito contra Daniel e Maguito Vilela sobre caixa
2 da Odebrecht nas campanhas de 2014 e 2016.

Olho na bomba

Mais de 72% dos postos de combustíveis de Goiás fizeram o
registro durante os primeiros 23 dias de cadastramento obrigatório junto ao
Ministério Público para o funcionamento do aplicativo “Olho na Bomba”.

App do consumidor

O projeto prevê funcionamento do app a partir de setembro,
com dados mapeados e atualizados do preço dos combustíveis nos postos. A
consulta pelo consumidor favorecerá o que cobrar o menor valor por produto de
qualidade.

Prazo final

Os postos que não realizarem cadastro estão sujeitos a multa
e até fechamento. Dos 1.795 existentes em Goiás, 1.283 fizeram o cadastro. O
prazo final vai até próxima semana, no dia 8 de agosto.

Nova realidade

Com postura contrária à adotada pela antiga Celg-D, a Enel
confirmou cortes no fornecimento de praças esportivas em Goiânia e recebeu
críticas. “Essa atitude foi uma irresponsabilidade”, soltou o presidente da Agetop,
Jayme Rincón (PSDB).

Como é?

“Escolheram cortar a energia do Autódromo e do Estado Olímpico
porque são emblemáticos. Eles estão no mesmo CNPJ de contas que estavam
atrasadas, mas em processo de negociação em função de um TARE. É lamentável”,
explica o tucano.

Tá combinado

O governador José Eliton foi informado por deputados do PSD que
o partido fechou apoio, de forma oficial, ao projeto do PSDB. A reunião durou
cerca de uma hora no Palácio das Esmeraldas. Ausente na conversa, Vilmar Rocha
acatou a decisão.

Compartilhe: