Coluna

Daniel Vilela descarta formação antecipada de alianças

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 13 de março de 2018

O deputado federal Daniel Vilela (MDB), que é pré-candidato
ao governo estadual, descarta suposta importância de formação de alianças
durante a pré-campanha e julga que boa parte das siglas anunciadas pelo rival
na oposição, o senador Ronaldo Caiado (DEM), são irrelevantes. O democrata
chegou a anunciar acordo com 10 partidos (PMN, Patriotas, PHS, PPL, PTC, PV,
PRTB, PSDC, PRP e PSC), mas a maioria das legendas ainda conversa com o MDB,
com a base de José Eliton (PSDB), até com cargos no governo tucano e na
prefeitura de Goiânia. “Quais são os partidos que ele anunciou? São tão
relevantes que não se consegue lembrar o nome deles. Alguns não tem candidato a
deputado, não tem tempo de Rádio e TV, outros anunciaram apoio, mas agora estão
na base do governo. A verdade é que não são alianças consolidadas e nenhum
pré-candidato em isso até hoje. Temos tranquilidade nessas conversas sabendo
que essas definições só serão tomadas no futuro”, afirma. “Partidos importantes
da base do governo ainda vão escolher o caminho”, sugere.

Convite feito

Além da relação próxima com o senador Wilder Morais (PP), o
presidente do MDB confirma ter convidado formalmente o ex-deputado Vilmar Rocha
(PSD) para formar a chapa ao Senado. Reposta só em junho.

Candidatura incerta

Daniel ainda admite as conversas com o PRP, que segue divido
entre caiadistas e emedebistas, mas não garante vaga ao Senado para o vereador
Jorge Kajuru (PRP). “Isso é algo que o próprio PRP precisa decidir primeiro”.

Reforma para eleição

O presidente Michel Temer (MDB) decidiu usar a reforma
ministerial que fará no fim deste mês para tentar isolar a pré-candidatura de
Rodrigo Maia (DEM-RJ) (foto) ao Palácio do Planalto e, com isso, ganhar uma
sobrevida até julho para seu desejo de concorrer à reeleição. A estratégia é
dar ultimato a partidos de sua base aliada, com destaque aos comandantes do centrão
(PP, PR e PTB) e negociar indicações aos ministérios apenas com siglas que se
comprometerem com seu projeto eleitoral. O plano pode ser o de sua reeleição ou
o de uma candidatura como a do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. As
tratativas foram aceleradas depois que Temer sofreu derrotas na Justiça, com a
citação em investigações, e Maia ter se lançado oficialmente ao Planalto, com
demonstração de apoio de pelo menos 12 partidos, vários aliados do governo.
Temer terá de trocar o controle de pelo menos 12 ministérios até 7 de abril. Um
dos principais focos é PP, que hoje detém o Ministério da Saúde e o das
Cidades, com o goiano Alexandre Baldy.

CURTAS

Tentativa – O
presidente do PP, Ciro Nogueira (PI), conversou com Temer manutenção dos cargos.
Ouviu que só é possível se fechar com o candidato do governo.

Estrutura
Servidores dos Correios, que iniciaram movimento de greve no Brasil, apontam
sucateamento proposital da empresa, para justificar privatização.

Prepare-se!
Depois de seguidos transtornos no trânsito, Comissão de Obras discutirá hoje
ações na Marginal Botafogo e possibilidade de interdição total da avenida.

Fica a dica

O TRE-GO resolveu dar dicas nas redes sociais. Na última
sugeriu: “procure saber se o candidato tem compromisso com Direitos Sociais
fundamentais, como criação de emprego e geração de renda”.

Sujo X mal lavado

Essa vem de Brasília. O relator do processo de cassação do
deputado presidiário João Rodrigues (PSD-SC), Ronaldo Lessa (PDT-AL), tem processos
que vão desde condenação por peculato a inquérito por uso de documento falso.

Ao voto

Deputados querem aproveitar a agenda de segurança pública
para desenterrar projeto sobre crimes de abuso de autoridade cometidos por
servidores públicos. É punição à conhecida “carteirada”.

Nova investigação

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que vai apurar as
obras paradas da prefeitura realiza às 9h30 a primeira reunião. Serão escolhidos
presidente, vice e relator, além dos primeiros depoimentos e diligências. 

Foco

Os titulares são Alysson Lima (PRB), Romário Policarpo
(PTC), Eduardo Prado (PV), Paulinho Graus (PDT), Felizberto Tavares (PR),
Milton Mercêz (PRP) e Sabrina Garcêz (PMB), que fiscalizarão obras do BRT,
Marginal Cascavel, CMEIs, entre outras.

Semelhanças

Pré-candidatos ao Planalto, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Henrique
Meirelles (PSD), têm duas semelhanças: usam aviões da Força Aérea Brasileira
(FAB) para fazer campanha e patinam nas pesquisas. Não chegam a 1%.

 

Compartilhe: