Coluna

De espetáculo circense a fritura de Arthur Bernardes 

Publicado por: Yago Sales | Postado em: 02 de fevereiro de 2022

Na primeira sessão da Câmara Municipal de Goiânia foi marcada por arrependimento de parlamentares que assinaram “cheque em branco” contra os goianienses. Antes do início da primeira sessão, o zunzunzum nos corredores já dava o tom do espetáculo. Um dos 35 parlamentares, o vereador Sargento Novandir (Republicanos) entrou no plenário com direito a anúncio circense de narrador. Com roupa e nariz de palhaço fez malabarismo com laranjas. Foi a forma que encontrou para, também preocupado com o impacto eleitoral por ter votado a favor do aumento do IPTU e ITU, de dizer que foi enganado. Na mesma sessão, o sargento tirou o cinto e disse para o secretário de Finanças, Geraldo Lourenço, voltar para Brasília. Depois tirou a arma do coldre, a colocou na tribuna e pediu a um colega para açoitá-lo, sob a euforia dos colegas. Em seguida, a vereadora Gabriela Rodart (DC) pediu o impeachment do prefeito Rogério Cruz (Republicanos). 

Aos pés

Na avalanche de arrependimento, o vereador Ronilson Reis (Podemos), com dedos em riste, acusou o secretário de Governo, Arthur Bernardes, de ter trabalhado nos bastidores pela aprovação do Código Tributário. “Peita esse vereador aqui”, disse ele, sugerindo que Arthur é acostumado a colocar parlamentares aos seus pés. 

Cabeça

Antes de a sessão ter sido finalizada, Ronilson Reis, visivelmente irritado, batendo no peito e com os dedos acima da cabeça, disse: “Prefeito, nós queremos a cabeça do Arthur Bernardes. Está insustentável esse cidadão ser secretário de Governo em Goiânia.” Enquanto Santana Gomes (PRTB) tentava falar, a sessão terminou com bate-boca.

Bora ver


Caso os ânimos estejam de alguma forma melhores, a Casa deve analisar hoje o projeto de autoria de criação da Rede de Atenção às pessoas que têm alguma doença autoimune dermatológica. O projeto é do vereador Lucas Kitão (PSL), com o aval da CCJ.

Vergonha


O site da Câmara Municipal de Rio Verde, uma das cidades mais ricas de Goiás, é um exemplo de falta de transparência. O presidente da Casa, Lucivaldo Medeiros (DEM), diagnosticado com Covid-19, não foi encontrado pela Xadrez. 

Fuen Fuen 

Parece que os planos do presidente da Alego, Lissauer Vieira (PSB), de começar o ano na nova sede da Casa se frustraram. É improvável qualquer sessão em meio à barulheira de equipamentos de obras, poeira e a correria dos operários. 

Despedida

O senador Luiz do Carmo anunciou ontem a saída do MDB. A carta de desfiliação foi assinada pelo presidente da sigla, Daniel Vilela.

Jogos de azar

O senador Eduardo Girão (Podemos) é contra a aprovação do projeto que legaliza os jogos de azar no país. Justifica sua posição por entender que “os brasileiros estão lutando para sobreviver e estimular a jogatina, é piorar sua vida financeira”. 

Curtas

Em 40 dias três bebês sofrem alguma fratura na Maternidade Marlene Teixeira, em Aparecida de Goiânia. 

Compartilhe: