Coluna

Debate na Alego tem ataques de PSDB e MDB contra Caiado

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 09 de agosto de 2018

A prática é antiga: bater em que está em cima. E o cenário
de momento leva tucanos e emedebistas a atacarem a candidatura do senador
Ronaldo Caiado (DEM), que lidera as pesquisas de intenção de voto para o
governo estadual. O discurso dos três lados foi apresentado nas primeiras sessões
de retomada dos trabalhos na Assembleia Legislativa, ainda no auditório Sollon
Amaral, enquanto é finalizada reforma no plenário da Casa. O líder da base
governista, Francisco Oliveira (PSDB), aponta que a candidatura do senador será
“desidratada” e perderá intenções de voto nas pesquisas até a votação no
primeiro turno, em 7 de outubro. Segundo ele, a eleição será polarizada, “como
historicamente acontece, entre os grupos formados em torno dos candidatos
Daniel Vilela (MDB) e José Eliton (PSDB)”. Em resposta, o deputado caiadista
José Nelto (Podemos), rebateu: “é o que espera o líder do governo porque o
candidato dele é o lanterninha. A real oposição em Goiás é com Caiado contra as
chapas A e B do governo”, disse, em referência ao MDB.

Todos contra

Emedebistas também pregam fogo em Ronaldo Caiado, ao mesmo
tempo em que criticam as gestões do PSDB. O deputado Wagner Siqueira (MDB)
ressalta a ligação de membros da chapa majoritária do DEM com o governo.

Espaço

“O próprio Caiado saiu da base em 2014 porque escolheram
Vilmar Rocha para ser candidato ao Senado. Nós o recebemos, mas ele esteve em
lá por 16 anos. Estavam lá Lincoln Tejota e Wilder Morais, entre outros”,
aponta Waguinho.

Aposta em palanques
estaduais

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, disse ontem
durante palestra a investidores que terá os melhores palanques nos Estados, o
que lhe ajudará a vencer as eleições, e afirmou que o candidato que prometer
facilidades na campanha estará mentindo. Por aqui, o grupo de Marconi Perillo e
José Eliton pretende se esforçar para garantir palanque e estrutura ao tucano.
“Vamos ter do Rio Grande do Sul até Roraima os melhores palanques. Se não o
primeiro, o segundo do Estado”, disse Alckmin durante evento organizado pelo
banco BTG Pactual em São Paulo. “Numa campanha curta, televisão e rádio, claro
que as redes sociais são importantes, mas televisão e rádio é importante”,
acrescentou o tucano, que voltou a defender a ampla coligação que fez, principalmente
com os partidos do chamado Centrão, muitos deles com lideranças envolvidas em
escândalos de corrupção. O tucano disse ainda que há bons quadros em todas as
legendas e que, para fazer reformas como a tributária, a política e a da
Previdência, é necessário ter uma ampla base de apoio no Congresso Nacional.

CURTAS

Mentira! – “Quem
prometer mudança sem ter articulação política, vai estar mentindo”, defendeu
Alckmin durante a palestra.

Investigação – A
Polícia Federal descartou sabotagem no acidente aéreo que matou Eduardo Campos
em 2014, mas ainda não determinou a causa.

Sine die – O
governo já escolheu a empresa ‘Assessoria em Organização de Concursos Públicos’
para o próximo certame da PM. Ainda não há data para o edital.

Ao trabalho

Depois de desistir da candidatura ao Senado, o deputado
federal Pedro Chaves (MDB) tem nesta manhã reunião com Daniel Vilela para
definir o trabalho que terá na coordenação da campanha. Pedro segue com nome na
lista do partido para reeleição.

Solução interna

O candidato do MDB tem feito movimentos para acabar com
atritos. O primeiro foi levar Vanderlan Cardoso (PP) em reunião com Iris
Rezende. Agora, o contato com Pedro Chaves finaliza especulações sobre crise
interna.

Resposta

O governador José Eliton (PSDB) confirmou a exoneração de 16
auxiliares indicados pelo PP, em atos publicados ontem no Diário Oficial do
Estado. O partido, presidido pelo ministro Alexandre Baldy avalia entrar com
ação no MPF por perseguição política.

Motivo dado

O PP oficializou aliança com o MDB e passou a ser oposição
em Goiás. O governador garantiu que não demitiria os indicados pelo deputado federal
Heuler Cruvinel (Hwascar Fagundes – Secima) e por Baldy (Cleomar Dutra – Agehab).

Ao ataque!

O deputado e candidato a senador, Luis Cesar Bueno (PT), ligou
ontem a metralhadora na tribuna da Alego. Criticou o governo pelo projeto dos
pedágios, o MDB pelo governo Temer e o uso político do Ministério das Cidades.

Risos

Foi tratado como momento cômico da sessão ordinária desta
quarta-feira (08) o momento em que o deputado José Nelto (Podemos) disse querer
“chegar com autoridade política e moral” ao Congresso Nacional.

Compartilhe: