Coluna

Futuro líder do PSDB defende aliança com MDB em Goiás

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 06 de dezembro de 2018

O deputado estadual reeleito, Talles Barreto, assume em fevereiro
a liderança do PSDB na Assembleia Legislativa e inicia debate sobre a
reestruturação da sigla após a derrota nas urnas em 2018. Para o tucano, a
discussão deve passar pelos “muitos erros” da cúpula, incluindo José Eliton e
Marconi Perillo. Segundo ele, o comando deverá ser renovado e os caciques desta
eleição deverão formar um conselho consultivo, sem poder de decisão. Além
disso, quer um reposicionamento sobre alianças, inclusive considera o MDB,
principal adversário dos tucanos nos 20 anos de ‘tempo novo’. “Não consigo
elencar aqui quais os principais erros cometidos. Foram muitos e deverão ser
debatidos internamente primeiro. Temos que reavaliar o processo de 2018, já que
o partido saiu enfraquecido. O que já defendo é buscar novos grupos como o PP,
do Alexandre Baldy e do Vanderlan, e o MDB, do Daniel Vilela”, confirma. “O
PSDB nunca esteve tão próximo do MDB, principalmente da ala vilelista, mesmo
depois de sermos adversários. Temos que buscar novos parceiros políticos”.

Origem

A declaração de Talles Barreto é feita publicamente depois
de conversas reservadas com o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo
Mendanha (MDB), e com o próprio Daniel Vilela. Os dois não teriam colocado
empecilhos. Pelo contrário.

Outro lado

O tucano liderará bancada formada por Diego Sorgatto, Helio
de Sousa, Lêda Borges, Tião Caroço e Gustavo Sebba. Sobre o futuro de José
Eliton, avalia: “Ele não deve manter atuação partidária, até porque deve voltar
à atividade privada, na advocacia”.

Justiça definirá IPTU

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO) considera
inconstitucional a forma de cobrança a ser aplicada pela Prefeitura de
Goiânia em relação à atualização cadastral dos imóveis. Mais de 500
mil contribuintes estão sendo notificados a prestar informações no site
da Prefeitura sobre alterações realizadas nas características internas e
externas dos terrenos que possuem, em ação coordenada pela Secretaria de
Finanças, comandada por Alessandro Melo (foto). O presidente da Comissão de Direito
Tributário da seccional goiana, Simon Riemann Costa e Silva, afirma que a
entidade ajuizará hoje pedido de deferimento de liminar para proibir a
cobrança da planta cheia para o cálculo do IPTU, no bojo da Ação Direta
de Inconstitucionalidade (ADI) impetrada pela instituição em fevereiro de
2018, relacionada à cobrança extra do “puxadinho” na capital. A planta de valores
imobiliários de Goiânia, defasada desde 2005, foi atualizada em 2015 na
Câmara Municipal, mas com escalonamento com reajustes graduais de 5% a 15%
de acordo com o valor venal.

CURTAS

Questão – Os
imóveis avaliados em até R$200 mil têm como reajuste apenas o índice da
inflação, mas a Lei também define aumento de uma vez só para alterou o imóvel.

Conclusão – Simon
aponta que haveria então uma manobra fiscal, já que, ao informar a mudança no
cadastro pelo site, o contribuinte perde o direito aos deflatores.

Chegou! – O
prefeito Iris Rezende (MDB) realiza hoje a cerimônia de inauguração do
principal palco das festividades de fim de ano. Na Praça Tamandaré, às 19h30.

Secretariado

O governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) promete apresentar
na próxima segunda-feira (10) a equipe de secretários que vão compor a futura
gestão do governo de Goiás, com posse no dia primeiro de janeiro de 2019.

Convocação

“Na segunda feira vou convocar vocês (jornalistas)”, disse
Caiado ao ser questionado sobre as indicações. O senador tem defendido cautela
para anunciar os nomes com base na ideia de que “nomear é fácil, difícil é
demitir”. Quer fazer escolhas racionais.

Finalização

Deputados aprovaram a PEC do Orçamento Impositivo, que
destina 0,5% da receita de 2019 para emendas parlamentares. “Com dissidência no
PSDB, apoio a PEC para termos as emendas que sempre foram só enganação”, soltou
Jean Carlo.

Orientações

Os não reeleitos garantem emendas para o próximo ano e Lívio
Luciano (Podemos) orientou voto “sim” à “bancada caiadista”. Outro que orientou
voto foi Daniel Messac (PSDB), mas em projeto que daria isenção de ICMS na
conta de energia para igrejas.

Benefício próprio

Messac é pastor da Assembleia de Deus e tentou articular
derrubada de veto ao projeto de autoria conjunta dele e de Bruno Peixoto (MDB).
Não deu certo e o veto foi mantido. “A vaca foi com a corda”, afirmou à Xadrez,
lamentando a derrota.

Energia

O Fórum Permanente de Energia de Goiás, presidido pelo
deputado estadual Simeyzon Silveira (PSD), realiza nesta sexta-feira (7) a sua
19ª reunião. Desta vez, o encontro se dá no plenário do CREA-GO, em Goiânia, a
partir das 8h30.

Compartilhe: