Coluna

Governo mantém atraso de seis meses no Bolsa Universitária

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 04 de dezembro de 2018

Apesar do discurso de normalidade e de que “tudo está
funcionando em Goiás”, como tem repetido o governador José Eliton (PSDB), a
própria Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) confirma o atraso de seis
meses no pagamento do programa Bolsa Universitária. O valor total da dívida é
de R$ 54,7 milhões quando somados os débitos com todas as universidades e
faculdades que têm alunos beneficiados matriculados. As instituições de ensino,
por enquanto, mantêm os estudantes com aulas normais, apesar da falta de
quitação por parte do estado. Segundo a OVG, o atraso é algo comum ao longo
desta gestão, mas não como a situação atual. “Conversamos recentemente com o
governo do estado. A OVG é uma organização social e, para cumprir o programa de
governo, depende do repasse. O que nos foi informado é que todo o esforço da
Secretaria da Fazenda é para que seja feito pelo menos o pagamento de parte
desse débito”, conta a diretora da OVG, Idelma Rodrigues. Entre bolsas
integrais e parciais, fica sob risco a formação de 20 mil estudantes.

Vila famosa

A prefeitura de Goiânia, em processo de implantação de novo
modelo de obras na cidade, entregou a requalificação da tradicional praça Boa
Ventura, no setor Leste Vila Nova. Trabalho em parceria com empresa privada.

Detalhes

O local passou por revitalização por meio de uma parceria
público-privada com a empresa Flávio´s Calçados, que completou 40 anos no
bairro. A requalificação incluiu novos elementos de ginástica, brinquedos e a
reativação das duas fontes.

Veto condenado

O governador eleito de Goiás, senador Ronaldo Caiado (DEM),
adiantou ontem articulação com empresário para encontrar meio termo para a
proposta de redução dos incentivos fiscais, tratada no projeto que reinstitui
os benefícios no estado. A conversa ocorreu na casa do senador Wilder Morais (DEM)
e definiu que meio termo será buscado entre o relatório apresentado pelo
deputado Lívio Luciano (Podemos), que prevê redução média de 12,5% dos
incentivos, e a proposta de empresários de se amenizar os cortes e equiparar os
setores atingidos (leia mais na página 7). Diante do diálogo, Caiado afirmou à
Xadrez que não vê razão lógica para veto, como considerado pelo governador José
Eliton (PSDB). “Não posso pré-julgar, mas nós vamos votar um outro texto,  baseado em acordo, um entendimento. Acredito
que aquilo que sai de um consenso tem sempre o fator de ter o apoio, o aval e,
ao mesmo tempo, a sanção do governador”, afirma Caiado. Houve cogitação de
veto, caso o texto finalizado pela Assembleia não considerasse aos interesses
do setor produtivo.

CURTAS

Segurança natalina
Desde o fim de semana, tem sido reforçada a segurança nos setores Central e
Campinas, por agentes da Guarda Civil Metropolitana.

Verba – Governadores
do Norte e Nordeste acompanhar hoje em Brasília votações sobre securitização da
dívida ativa e a regulação da cessão onerosa de gás e petróleo.

Pauta – Os
gestores pretendem ter uma reunião com o ministro Ricardo Lewandowski, do STF,
para debater sobre os fundos de estados e municípios.

Situação crítica

O senador Ronaldo Caiado (DEM) afirmou que não tem jeito: a
solução da situação financeira de Goiás passa por processo de “recuperação
fiscal”. O termo assusta, até pela comparação com o que ocorre no Rio de
Janeiro, mas não é bem assim.

Explica aí

O futuro governador faz referência a processo de
renegociação de dívidas estaduais junto à União. O acordo não teria sido
cumprido pela atual gestão, que aumentou gastos e atrasou parcelas. Com isso, o
jeito é buscar novo acordo federal.

Via Brasília

“A única saída que é apresentada é um regime de recuperação
fiscal e para isso nós temos que tomar algumas medidas em Goiás. Tanto que
pretendo fazer reuniões nesta semana com o ministro da Economia, Paulo Guedes”,
conta Caiado.

Tucano lá…

De Caiado, segue o silêncio, mas ganha força nos bastidores
o nome do deputado estadual reeleito, Diego Sorgatto (PSDB), para comandar a
futura Secretaria do Entorno do DF.

E cá…

Se a indicação foi confirmada, o futuro governador definiria
o retorno do atual líder governista, Francisco Oliveira (PSDB), ao mandato.
Chiquinho é o primeiro suplente e já tem tentado virar o disco, buscando
trânsito entre caiadistas.

Bolso deles

Depois da licença prêmio aprovada e sancionada, o Tribunal
de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) agora aprova resolução que torna efetivo o
reajuste do subsídio da magistratura goiana. A decisão é referente ao aumento
de 16,38% do STF.

Compartilhe: