Quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

Coluna

Ministros do STF querem manter distância dos holofotes políticos

Publicado por: Wilson Silvestre | Postado em: 18 de janeiro de 2023

Ao retornar do recesso judiciário em fevereiro, os ministros do Superior Tribunal Federal (STF) vão focar mais nas lides constitucionais e menos nas demandas políticas. Em resumo, foi o que a Xadrez ouviu de operadores do Direito que transitam no Superior Tribunal de Federal (STF). De um modo geral, é consenso entre os magistrados do Supremo, evitar decisões da corte que poderiam ser resolvidas no âmbito do Congresso, mas por omissão ou até mesmo por comodismo, os parlamentardes jogam tudo no colo dos ministros. Muito dos desgastes de credibilidade sofridos pelo STF, são originados pelos parlamentares, mas que acabam tendo algum ministro ou o Pleno decidindo. O recado da corte para os agentes políticos é: a democracia está preservada e os poderes que a sustentam, em plena atividade e liberdade, portanto, caberá às Excelências cuidar bem desse resgate democrático. A Corte quer evitar críticas ácidas como a que o ministro aposentado, Marco Aurélio Melo fez sobre o até bem pouco tempo colega no STF, Alexandre de Moraes. Em entrevista à Rádio Bandeirantes na quarta-feira (11), Marco Aurélio disse que as prisões em massa determinadas por Alexandre de Moraes, foram exageradas. “Já tivemos a prisão de centenas de pessoas. Vamos com calma e compreensão. Nada surge sem uma causa, é preciso elucidar os fatos. A generalização é sempre perigosa”, disse. Sem contar que os controladores de plataformas digitais têm intensificado críticas à justiça do País. De fato, as decisões da Suprema Corte brasileira, sugerem que o prato da balança judicial está adernado para um lado, ao invés do equilíbrio.

Brasil de agora e o de FHC

Desde quando a ‘dinastia tucana’ entrou em declínio com as derrotas de Aécio Neves e posteriormente, Geraldo Alckmin – agora no PSB e vice-presidente da República – o PSDB e sua social democracia econômica não era tão citada. Volta e meia jornalistas e políticos nas variadas siglas, advertem o presidente Lula que o “Pais de agora não é o mesmo que ele recebeu de Fernando Henrique Cardoso”. O alerta é sobre as dificuldades de Lula em atender demandas sociais e promover o desenvolvimento econômico sem provocar crise.

Continua após a publicidade

Maguito conciliador

A homenagem que será feita a Maguito Vilela, um dos líderes políticos de Goiás que mais exercitou a capacidade de conciliar vozes divergentes no dia 24 de janeiro, às 17 horas no complexo Administrativo de Aparecida, deve reunir estrelas da política nacional e, dependendo da liberação médica, o governador Ronaldo Caiado (UB).

Festa eclética

O complexo administrativo onde abriga toda a máquina burocrática do município, passa a se chamar “Cidade Administrativa Maguito Vilela”. A homenagem é uma iniciativa do prefeito Vilmar Mariano (Patriotas) e está prevista a presença de inúmeras lideranças políticas da cidade, estado e do país.

Olhares do Campo

A Mostra “Olhares do Campo”, projeto socioeducativo e cultural que abre as comemorações dos 30 anos de atuação do Senar Goiás, propõe um “outro olhar” para aqueles que cultivam a terra e dela tiram seu sustento. Com caráter itinerante, a Exposição segue, de 17 a 27 de janeiro, no piso 1 do shopping Passeio das Águas, das 10h às 21 horas, com entrada franca.

Baldy prefeito

O que parecia ser apenas uma cortina de fumaça como se diz no jargão político, começa a tomar forma. O ex-ministro e presidente do Progressistas em Goiás, Alexandre Baldy tem mantido conversas sobre a possibilidade de disputar a Prefeitura de Anápolis.

Nogueira apoia

Um dos maiores incentivadores da ideia e o presidente nacional da legenda, senador Ciro Nogueira e, claro, o atual prefeito Roberto Naves que, a partir de 2024, não será mais prefeito. Naves gostaria de eleger um aliado de confiança e Baldy preenche os requisitos.