Terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Coluna

Secretário de Governo adia debate eleitoral e prioriza gestão

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 10 de julho de 2018

O governador José Eliton (PSDB) realizou ontem reunião do
secretariado para balanço dos 90 dias à frente da gestão e o secretário
estadual de Governo, João Furtado Neto, preferiu desconversar sobre o possível
debate, na reunião, sobre trabalhos e metas relacionados à eleição.  O auxiliar falou à imprensa como
representante da equipe de governo e foi questionado sobre as eleições pelo O
Hoje. “Nós ainda não temos campanha eleitoral. Ela começará a partir de quando
a Legislação Eleitoral permitir. Ainda não temos candidatos, convenções e não
falamos de campanha eleitoral aqui. Estamos cuidando de cumprir a Lei”,
garantiu. Sobre os investimentos até o fim do ano, que podem resultar em ações
positivas durante a campanha, Furtado confirma 
que a gestão vai “respeitar o que já está contratado, inclusive os
programas sociais. O que não se pode é ampliar estes programas. As
transferências para municípios tiveram seu ponto final na semana passada e não
podemos mais fazer novas contratações ou convênios. Vamos terminar o exercício
cumprindo o que está empenhado”.

Empréstimo rejeitado

Continua após a publicidade

O governador confirmou ontem que recusou a proposta de
empréstimos de R$ 510 milhões e R$ 94 milhões junto à Caixa, por conta dos
altos juros e baixas garantias. Eliton apontou a eleição como “questão de risco”.

Oposição

“Tivemos líderes da oposição que se manifestarem contrários,
com argumentos equivocados, mas que não deixam de ter relevância dentro do
ambiente político local. Eu olho para a saúde financeira do estado enquanto
eles olham para a eleição”, disse.

MDB marca convenção

A cúpula nacional do MDB decidiu ontem que a convenção do
partido, para oficializar o ex-ministro Henrique Meirelles como candidato ao
Planalto, será realizada no dia 4 de agosto, em Brasília. A tendência é que o
partido confirme a candidatura, apesar do desgaste da gestão do presidente
Michel Temer (MDB) (foto), de quem Meirelles foi o principal auxiliar. Durante
a reunião, que teve a participação do pré-candidato, dirigentes do MDB fizeram
projeções sobre a quantidade de votos que Meirelles deve ter entre os
convencionais. O anapolino precisa de mais da metade dos 629 votos para se
tornar o nome do MDB na sucessão de Michel Temer. Conhecido por sua precisão
nas planilhas – que funcionaram muito bem durante a votação do impeachment de
Dilma Rousseff e nas denúncias contra Temer na Câmara, o ministro Eliseu
Padilha (Casa Civil) afirmou aos colegas que Meirelles deve ter 443 dos 629
votos, ou seja, será oficializado candidato. Meirelles deve, portanto, vencer
as resistências internas principalmente de lideranças do Nordeste.

CURTAS

Obras – A
senadora Lúcia Vânia assinou convênio para construção de pontes nas cidades de
Santa Isabel e Crixás. As obras somam mais de R$ 2 milhões.

Prioridade
Encontros conjuntos dos partidos da base seguem suspensos, enquanto José Eliton
fecha a chapa majoritária. Intenção é definir nomes até antes do dia 5.

Desistência
Ficou pelo caminho a candidatura do apresentador de TV, José Luis Datena (DEM),
ao Senado. Voltou ontem ao trabalho na Band.

Novo sistema

Foi publicada lei aprovada pela Câmara de Goiânia que obriga
a instalação de cabeamento subterrâneo de linhas de transmissão
de energia acima de 69 quilovolts, as chamadas redes de alta tensão.

Adequação

O texto é do vereador Elias Vaz (PSB) e estabelece prazo de
20 anos para que as concessionárias de transmissão e distribuição de energia elétrica
façam a substituição, mas exige a troca anual de pelo menos 5% dos cabos.

Correção

O governador José Eliton (PSDB) mandou cancelar convênio com
a cidade de Pires do Rio, pelo programa Goiás na Frente. A cidade natal do
presidente da Agetop, Jayme Rincón, receberia R$ 19 milhões para obras de
pavimentação asfáltica.

Comparação

O convênio havia sido publicado em edição extra do Diário
Oficial do Estado no sábado (7), prazo final para transferências. Para
comparar: Goiânia recebeu R$ 35 milhões e Aparecia de Goiânia teve
investimentos de R$ 10 milhões.

Fora!

Sempre envolvido em polêmicas, o presidente da Agetul,
Alexandre Magalhães (PSDC), decidiu deixar a gestão de Iris Rezende em Goiânia.
Só fica até reabrir o Parque Mutirama, o que pode ocorrer em dezembro.

Agilidade

O deputado federal Daniel Vilela e o reitor da UFG, Edward
Madureira, cobraram na última semana celeridade na publicação de portaria que
regulamenta hospitais de ensino no Brasil. Tiveram reunião com o ministro da
Saúde, Gilberto Occhi.