Coluna

Testes e regras vão definir reaberturas em Goiânia

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 30 de abril de 2020

Além das manifestações formais de dezenas de setores da
economia, ganha força também entre auxiliares da prefeitura de Goiânia a
corrente que defende a retomada de atividades depois de praticamente 45 dias de
quarentena. Os índices que medem o isolamento social na cidade despencaram e,
mesmo com o crescimento dos números de casos e mortes, a gestão de Iris Rezende
(MDB) caminha, ao menos entre os secretários com perfil político, para a
flexibilização. A análise, na prática depende do aval da secretária de Saúde,
Fátima Mrué, mas o secretário de Governo, Paulo Ortegal, defende: “recebemos
várias propostas e, a partir da próxima semana, queremos ver a condição de
flexibilizar alguma coisa”. Fátima, no entanto, defende o inverso. “Não espaço
para qualquer flexibilização neste momento em que os números causam mais
preocupação. Qualquer maio movimentação de pessoas é ruim”, define.

Critérios

A secretária considera também a demanda econômica, mas
ressalta que a realização a partir desta semana de mais testes rápidos e o
efetivo cumprimento das regras de higiene contra aglomerações vão balizar as
decisões.

Cenário real

Segundo estudos da Secretaria Municipal de Saúde, se não
houver qualquer medida de isolamento, a cidade teria infecção rápida do vírus
entre 0,5% e 1% da população, o que aumentaria o número de internações.

Desastre

“A gente teria um pico com o número de 7,5 mil a 8 mil casos
em um espaço de tempo muito curto. Isso seria desastroso para nós aqui em
Goiânia”, afirma Mrué.

Base aliada

O deputado federal Vitor Hugo (PSL), líder do governo Bolsonaro,
teve emendas atendidas em R$ 1,2 milhão para modernização e custeio do
Instituto de Medicina do Comportamento Eurípedes Barsanulfo (INMCEB).

Novo aliado

O senador Vanderlan Cardoso também comemora pagamento de
emendas para a saúde. O governo federal pagou quase R$445 mil que foram
destinados aos municípios de Inaciolância, Ivolândia e Pires do Rio.

Valores

Antes, outros R$ 22 milhões já havia sido liberados para 85
municípios, entre eles Goiânia, que recebeu nove emendas para instituições de
saúde de alta complexidade, além da atenção básica em unidades públicas e
filantrópicas.

Normalidade

O governador Ronaldo Caiado se manifestou contra o
impeachment de Bolsonaro por “respeitar o voto do eleitor” e defender que “cada
mandato seja um aprendizado”.

Dois pesos…

Em março de 2016, Caiado defendeu na tribuna do Senado o
prosseguimento do impeachment de Dilma. “O quadro se agrava sem ter uma solução
política para sinalizar o mínimo de tranquilidade para a sociedade brasileira”.

CURTAS

– A diretoria do Goiás “cortou na carne” para combater a
crise da pandemia. Suspendeu 60% dos funcionários.

– Apesar da pressão do Atlético, a Federação Goiana de Futebol considera difícil o retorno do Campeonato
Goiano.

– Nova reunião sobre proposta de financiamento público do
transporte, antecipada aqui, ficou agendada para a próxima semana.

 

Compartilhe: