Cervejarias podem estar irregulares

Postado em: 03-02-2016 às 00h00
Por: Redação

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO) investiga os maiores fabricantes de cerveja no Brasil por possível omissão de informações ao consumidor no rótulo das bebidas. A medida foi tomada a partir da denúncia por parte de um cidadão junto ao órgão, que alega o descumprimento da lei federal de 1994, que prevê a padronização na produção e fiscalização de bebidas no país.

A promotora da República que apura o assunto, Mariane Guimarães de Mello Oliveira, explica que, em cerca de 40% do produto são usados cereais como arroz ou milho, sendo 80% do milho transgênico.  “Assim, sem o nome do cereal substituto do malte de cevada e a porcentagem do cereal usado, isso expõe o consumidor a eventuais riscos à saúde, como alergias a substâncias presentes nas fórmulas de fabricação”, afirma.

O MPF Goiás expediu ofício ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento cobrando informações a cerca da fiscalização feita sobre os produtos e aguarda o prazo, que é em média de 20 dias. “Vamos ouvir primeiramente o Ministério e em um segundo momento as próprias cervejarias, sendo elas, AMBEV, Heineken Brasil e Brasil Kirin”, adianta.

Conforme a promotora, essa é a primeira vez que toma conhecimento de uma ação a respeito de cerveja. “Já tive caso a respeito apenas de água mineral, no qual também houve a cobrança na apuração das substancias utilizadas para ser considerada de fato mineral”, lembra. Se caso for estipulado uma recomendação de mudança nos rótulos, será em caráter nacional.

Cervejeiros

Para o sommelier de cerveja e proprietário do Armazém Cervejaria, Alessandro Ferro, 42, as substâncias usadas devem estar expostas de forma clara, como nas bebidas caseiras. “Na maioria das cervejas artesanais é preferencial o uso de puro malte, ou adição de xarope, como padrão alemão. Já as industrializadas adicionam cereais não maltados porque torna a bebida mais barata e pronta em menos tempo”, esclarece.

O analista de sistemas e apreciador assumido de cervejas, Amarildo Ribeiro Filho, 25, confessa que escolhe as cervejas pela preferência de marca e sabor apenas. “Nunca verifico o que está escrito no rótulo, mas agora é algo que vou me atentar. Conheço pessoas alérgicas e quem não sabem da presença dos cereais, por isso acho importante o alerta”, opina.

 

Compartilhe: