Operação Tolerância Zero entra em ação em Goiânia

Postado em: 27-02-2016 às 00h00
Por: Redação
Pontos estratégicos da grande Goiânia amanheceram com reforço policial

Flaviane Barbosa

Teve início na manhã de  ontem (26) a primeira ação da Operação Tolerância Zero. As equipes envolvidas no trabalho se posicionaram em locais estratégicos da Capital para abordar pedestres e condutores de veículos em atitude de suspeição. A iniciativa começou às 6 horas perdurou por 24 horas. A realização consiste na prevenção e combate a todas as modalidades criminosas, além da promoção da segurança da sociedade goiana. 

Todo o efetivo do Primeiro Comando Regional da Polícia Militar ( PM-GO), incluindo o Batalhão de Eventos e a Rotam,  faz parte da operação. Além deles a ação conta com o trabalho do BOPE, GRAer, Cavalaria e Giro. Fazem parte ainda o Comando de Policiamento Especializado Rodoviário, o Comando de Operações de Divisas e o Comando de Policiamento Ambiental.

O aumento ostensivo da PM é parte das medidas anunciadas pelo governador, Marconi Perillo, e pelo novo secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, o vice-governador, José Eliton, no combate à criminalidade. Ao todo, 500 homens fazem parte da operação, trabalhando em turnos alternados. Entre os pontos estratégicos da operação estão a Avenida 85 e Avenida T-9.

De acordo com o assessor de imprensa da PM, tenente-coronel, Ricardo Mendes, a as próximas operações serão realizadas em dias alternados conforme o planejamento de informação estratégica de inteligência. A hora e a data das  ações só serão informadas quando a operação acontecer. Ele ressalta que a iniciativa retoma a sensação de segurança pelo cidadão e também  dá maior visibilidade  e reconhecimentodo trabalho realizado nas ruas. Com relação às expectativas e inovações que operação irá trazer, Ricardo informa que o novo comandante-geral da PM, o coronel Silvio Benedito Alves irá se pronunciar após a solenidade de posse.

Números

O estudante de Jornalismo,  Frederico Augusto conta que mudou sua rotina acadêmica depois de ser assaltado em novembro do ano passado. Ao chegar na porta de casa, em Goiânia, ele foi abordado por um rapaz que que estava em uma moto. O ladrão apontou uma arma em sua direção obrigando-o a entregar o celular. Frederico afirma que depois do ocorrido tem voltado de carona para casa depois de sair da faculdade e quando não pode contar com isso, prefere faltar aula. O universitário espera que o número de policiais aumente, pois é a solução contra a violência.

Em 2013, o número de homicídios na capital foi de 595. A quantidade subiu para 628 em 2014 e reduziu para 553 mortes em 2015. Para os casos de latrocínio e roubo de transeuntes o número é de 19.517 em 2013 e 1.868 no ano de 2014. A quantidade subiu para 32.076 em 2015. 

Presa a assassina de Nathália Zucatelli

 Um dos casos de latrocínio que chamou a atenção da capital foi o da estudante, Nathália Araújo Zucatelli, 18. Ela foi morta depois de receber um tiro de Natália Gonçalves de Sousa na última segunda-feira (22). O crime aconteceu quando a acusada e seu comparsa Mateus Queiroz abordaram a jovem para assaltá-la ao lado do Colégio Protágoras, no Setor Marista. 

Natália Gonçalves foi presa na noite  de quinta-feira (25), junto com o dono da arma utilizada no crime, Fernando Rodrigues Júnior. 

De acordo com Polícia Militar, a mãe da acusada e outra testemunha contribuíram para a prisão dos acusados. A testemunha anotou a placa da moto utilizada no crime e repassou para investigação.

A mãe de Natália atraiu a filha para sua casa com o intuito de lhe entregar uma quantia em dinheiro, onde ocorreu a prisão. O dono da arma, Fernando Rodrigues foi preso no Jardim América e levou os policiais ao local onde a arma estava escondida. Até o fechamento desta matéria, Mateus Queiroz continua foragido.

 

Compartilhe: