Aumentam fiscalizações em supermercados

Muitas foram as ocorrências registradas em 2016 em Goiânia e Aparecida

Postado em: 22-10-2016 às 06h00
Por: Redação
Muitas foram as ocorrências registradas em 2016 em Goiânia e Aparecida

Da redação

De janeiro até o momento, a cidade de Aparecida de Goiânia e a capital registraram várias interdições de estabelecimentos que comercializam ou manipulam alimentos. A reportagem do O Hoje tentou apurar o número de ocorrências registradas nesse período em ambos os municípios, mas até o fechamento desta edição, os Procons não conseguiram disponibilizar os dados. 

De acordo com o coordenador de atendimento do Procon de Aparecida de Goiânia, Lucas Santos Andrade, um dos motivos que levam os estabelecimentos à níveis inconcebíveis de higiene, armazenamento e vendas de produtos deteriorados é a falta de organização dos funcionários, a forma de trabalho dentro dos supermercados e restaurantes. 

Continua após a publicidade

Em Aparecida, um dos casos mais graves foi a interdição do Supermercado Estrela, localizado no Setor dos Afonsos, onde a Delegacia do Consumidor, o Procon Estadual e Vigilância Sanitária apreenderam três toneladas de alimentos estragados. No local ainda foram encontrados fezes de pombo, ferrugens nas prateleiras e esgoto sem proteção. A proprietária foi indiciada por crime contra as relações de consumo. 

Noelma Cristina, 42, é moradora do Setor dos Afonsos e possui um comércio ao lado do que antes era o Supermercado Estrela. Segundo ela, a interdição do estabelecimento, apesar de necessária, influenciou diretamente na rotina dos moradores da região, além de afetar a sua loja. “Ficou muito ruim, o supermercado contribuía nas vendas aqui do empório porque toda hora passava gente aqui na frente. Com a interdição as vendas caíram em 60%”. Além disso, para fazer compras, os moradores precisam se deslocar até o estabelecimento mais perto, na Avenida Rio Verde. 

Goiânia

Somente nesse mês de outubro, Goiânia registrou três autuações em estabelecimentos. No último dia 18, terça-feira, o Procon Goiânia apreendeu 200 quilos de produtos vencidos no restaurante Toscha Arabian, localizado na Rua T-38, no Setor Bueno. No local, foram constatadas várias irregularidades, como o armazenamento inadequado de alimentos, produtos perdidos e sem data de validade.

Na sexta-feira, 14, o restaurante e a pizzaria Villa di Lá Pizza, no Setor Vila Nova, foi interditada pela Delegacia de Crimes contra o Consumidor (Decon), em conjunto com o Procom Goiás e a Vigilância Sanitária. Consumidores denunciaram anonimamente a venda de cerveja vencida no local a R$ 0,19. A fiscalização verificou que uma parte da cerveja estava com a data de validade raspada; alimentos deteriorados também foram apreendidos. 

Por fim, no último dia 13, quinta-feira, o Supermercado Bretas, do Setor Jardim Ana Lúcia, foi parcialmente interditado devido ao mau acondicionamento de produtos e falta de higiene. No local, o Procon apreendeu 30 quilos de alimentos impróprios para o consumo. Entre eles estavam refrigerantes, ração para gatos, cerveja, sucos, queijos, entre outros. 

Infelizmente, esses não foram os únicos estabelecimentos a serem autuados e interditados em Goiânia. Ocorreram vários casos ao longo do ano, dos quais ainda pode-se destacar a interdição por tempo indeterminado do Supermercado Extra, localizado no Setor Serrinha, em junho deste ano; e a interdição do Super Barão, com endereço na Cidade Jardim, em março. Nos locais foram encontrados péssimas condições de higiene, alimentos vencidos, ambiente insalubre; no Extra foi constatado até a presença de ratos mortos. 

Veja Também