Sexta-feira, 09 de junho de 2023

Justiça recebe denúncia contra fazendeiro que escondeu Lázaro; caseiro teve caso arquivado

Evangelista teria dado guarita a Lázaro Barbosa, além de tentar despistar os agentes durante as buscas.

Postado em: 07-07-2021 às 16h33
Por: Alice Orth
Evangelista teria dado guarita a Lázaro Barbosa, além de tentar despistar os agentes durante as buscas. | Foto: Reprodução

A Vara Judicial de Cocalzinho de Goiás aceitou nesta quarta-feira (07/07) a denúncia do Ministério Público de Goiás (MPGO) com Promotoria de Justiça da comarca, que acusa Elmi Caetano Evangelista por esconder e ajudar na fuga do então foragido Lázaro Barbosa de Souza. O fazendeiro irá responder ainda por posse de arma de fogo com sinal de identificação adulterada e 49 munições de calibre 22 mantidas ilegalmente.

A promotora de Justiça Gabriela Starling Jorge Vieira de Mello, ao fazer a acusação contra Evangelista, também arquivou o inquérito policial contra Alain Reis de Santana. Segundo ela, o caseiro não tinha influência ou mesmo consciência das ordens que recebia, e trabalhava no local havia menos de um mês.

No texto, ela recontou a força-tarefa com cerca de 300 agentes de segurança, envolvendo as polícias Civil, Militar e Federais, que realizaram uma operação de cerco durante 20 dias para localização de Lázaro. O foragido, que foi encontrado e morto em confronto no dia 28 de junho, era acusado de múltiplos homicídios e latrocínios, entre outros crimes.

Continua após a publicidade

Evangelista, de 74 anos, teria dado guarita a Lázaro, com local para descanso, alimentação e acesso à internet, além de tentar despistar os agentes durante as buscas. Ele foi preso no dia 26 de junho e teve seu pedido de habeas corpus negado.

Ao receber a denúncia, a juíza Luciana Oliveira de Almeida Maia da Silveira afirmou que “não há dúvidas de que os elementos que compõem o procedimento investigatório são suficientes para a instauração do processo penal, já que indicam a ocorrência de crime”.

Veja Também