Goiás atinge umidade relativa do ar mais baixa do que deserto Saara; veja previsão

Postado em: 14-09-2021 às 15h40
Por: Alice Orth
Ontem (13) o percentual atingiu 8% em Goiânia, o baixo do país e o menor índice do ano até então. | Foto: Reprodução

A baixa umidade relativa do ar elevou o nível de atenção para problemas respiratórios, desidratação, risco de incêndio e outras complicações. Nesta terça-feira (14/07), o valor é de 15%, em estado de grave perigo, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Ontem (13) o percentual atingiu 8% em Goiânia, o baixo do país e o menor índice do ano até então.

Liderando as maiores quedas entre o mundo, o valor ficou abaixo do deserto do Saara, na África, por exemplo, onde a umidade costuma variar entre 14% e 20%. O único lugar a superar a capital goiana foi Timimoun, na Argélia, com 7%.

O grau de severidade de grande perigo é iniciado a partir de 12%; abaixo disso, é considerado estado de emergência. As cidades afetadas são Anápolis, Águas Lindas de Goiás, Bela Vista, Catalão, Formosa, Luziânia, Valparaíso, Pires do Rio e demais municípios na região Nordeste de Goiás.

As recomendações do órgão são beber bastante líquido, evitar atividades físicas, que podem ser nocivas nesta situação, assim como a exposição ao sol, umidificar o ambiente, usar hidratante para pele e evitar bebidas diuréticas, como café e álcool.

Apesar da baixa, o Inmet prevê aumento para 20% a 25% na umidade para os próximos dias. A temperatura deve continuar alta: mínima de 21°C e máxima de 37°C até quinta-feira (16), quando a amplitude pode ir de 23°C a 38°C.

Compartilhe: