Polícia conclui que Marília Mendonça morreu de politraumatismo na queda de avião em MG

Postado em: 26-11-2021 às 08h34
Por: Nielton Soares
Os investigadores traçaram duas linhas de hipóteses para o acidente: falha nos motores e colisão com cabos de eletricidade | Foto: reprodução

A cantora Marília Mendonça e os outros quatro passageiras que estavam no avião que caiu em Caratinga (MG) morreram de politraumatismo contuso, concluiu a Polícia Civil de Minas Gerais (PC-MG).

O acidente aéreo ocorreu no último dia 5, vitimando, além da artista, o piloto, Geraldo Medeiros; o copiloto, Tarciso Viana; o produtor Henrique Ribeiro; e o tio e assessor de Marília, Abicieli Silveira Dias Filho.

O legista Thales Bittencourt de Barcelos disse que as mortes ocorreram por causa do impacto da aeronave com o solo, apenas depois que todos estavam no chão. Já o delegado Ivan Lopes Sales lembra de ter ouvido um piloto que ia para o mesmo destino, 20 minutos depois do voo de Marília, conversa com o colega do avião que levava a cantora, e não sido informado de qualquer problema mecânico.

Com isso, a polícia está trabalhando com duas linhas de investigação. Uma é a hipótese de que o choque com linhas de transmissão de energia da Companhia Elétrica de Minas Gerais (Cemig) provocou o acidente. E a outra é a possibilidade de uma pane nos motores, o que depende de análise do Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa).

A Estatal, responsável pela rede elétrica, chegou a confirma que houve uma colisão com um cabo de energia, apesar disso, alega que as torres estão localizadas fora do perímetro determinado em lei quando estão próximas de aeroportos.

Compartilhe: