Corpo de Bombeiros alerta para acidentes domésticos com crianças nas férias escolares

Postado em: 22-12-2021 às 08h08
Por: Maiara Dal Bosco
Neste período do ano, o índice de acidentes aumentam em 25%. | Foto: Reprodução/Internet

O recesso escolar do final de ano é um dos períodos mais aguardados pelas crianças. Contudo, com os pequenos, na maior parte do tempo em casa, alguns cuidados precisam ser tomados, uma vez que a quantidade de acidentes domésticos aumenta neste período. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Pediatria, acontecem cerca de 200 mil acidentes domésticos por ano com crianças no Brasil. No período de férias escolares, entretanto, esse índice aumenta em 25%. Para entender melhor como pais e responsáveis pelas crianças podem adotar ações preventivas para evitar acidentes, a reportagem conversou com o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO).

O Capitão Hendrigo Magnago, do CBMGO, destaca que os principais acidentes domésticos ocorrem envolvendo piscinas, panelas ao fogo e energia elétrica. No caso das piscinas, o aconselhamento da Corporação é que as crianças, sempre, estejam acompanhadas de um adulto, observando ainda, que um adulto deve estar acompanhando, no máximo, quatro crianças. “Outro ponto importante é a utilização de equipamentos de segurança, como boias de braço, boias de cintura. “ Porque isso ajuda quem está tomando conta das crianças”, destaca.

Já no caso das panelas e do fogão Hendrigo orienta que é importante que os adultos se atentem ao deixar as panelas, quando nos fogões, sempre com os respectivos cabos voltados para dentro do fogão, uma vez que isso evita que a criança puxe o cabo e se queime. Além disso, as panelas devem permanecer tampadas, e o fogão desligado, sempre que possível.

A energia elétrica é outro fator que exige atenção dos pais neste período. “Nas férias, as crianças usam ainda mais aparelhos eletrônicos como tablet e celular. Nesta semana, um adolescente levou um choque porque usava o celular enquanto o aparelho carregava, e, infelizmente, veio a óbito”, afirmou o Capitão Hendrigo. Segundo ele, o recomendável é não utilizar o celular enquanto o mesmo é carregado. “Se for muito urgente, o indicado é que se dê a carga necessária, retire da tomada o aparelho, e, após o uso, colocar novamente para carregar”, orienta.

Com relação aos acidentes envolvendo altura, a Corporação alerta sobre o uso de escada e elevadores. No caso de escadas, o Capitão Hendrigo pontua que há muitas escadas, mesmo dentro de casa, sem guarda corpo, o que exige atenção redobrada dos pais. “Além disso, deve-se observar a questão das janelas, e sacadas, principalmente em apartamentos. É indispensável que se tenha rede em todos essas aberturas”, pontua.

Já no caso dos elevadores, o CBMGO não aconselha que as crianças façam uso do elevador, desacompanhadas. “O elevador é um meio de transporte. Se avaliarmos, não deixamos crianças andarem sozinhas em outros meios de transporte. Além disso, a supervisão de um adulto é importante para evitar acidentes”, ressalta o Capitão.

O que fazer em caso de acidente

A recomendação é ligar, de imediato,  para o 193 do Corpo de Bombeiros. Em situações específicas de queimaduras, a orientação é, após ligar, manter o local hidratado, sob água fria corrente. Uma vez que a pele vai estar machucada, para não estourar a bolha, e não passar nenhum produto químico no ferimento.

Já em situação de afogamento, o CBMGO recomenda que enquanto o responsável liga para 193, tente fazer as manobras de reanimação. “Como não é todo mundo que sabe fazê-las da forma correta, ao ligar 193 a Corporação vai acionar a viatura que se deslocará ao local e, enquanto isso, direcionará a pessoa, por telefone como proceder até a chegada da equipe. O mesmo se aplica a casos de engasgo”, finaliza. (Especial para O Hoje)

Compartilhe: