Centro de Saúde em Campinas sem reformas e com estrutura comprometida corre risco de ser fechado

Moradores da região de Campinas pedem a reforma do Centro de Saúde da Vila Santa Helena

Postado em: 26-01-2022 às 08h46
Por: Redação
Moradores da região de Campinas pedem a reforma do Centro de Saúde da Vila Santa Helena | Foto: Reprodução

Por Ítallo Antkiewicz

Moradores da Vila Santa Helena, pedem a reforma nas instalações do Centro de Saúde da Vila Santa Helena, na região de Campinas, em Goiânia. A unidade foi construída há mais de 40 anos com placas de concreto está com suas estruturas comprometidas, sem as mínimas condições para abrigar com dignidade médicos, funcionários e pacientes.

O líder comunitário e membro do Conselho de Saúde local, Eudisnei de Lima, afirma que já foi feito até um documento oficial com mais de 25 mil assinaturas, endereçado a Secretaria Municipal de Saúde, solicitando a reforma, mas não teve nenhuma resposta do poder público municipal. 

Continua após a publicidade

João Gonçalves, comerciante, relata os problemas vivenciados no local. “Esse posto de saúde está esse caos há anos e ninguém toma nenhuma providência. O imóvel está se desmanchando, as pessoas precisam de ir ao médico, mas como que faz? Com um local desse jeito, é uma vergonha, uma cidade desse tamanho, um posto de saúde nessa situação precária de abandono,” relata o comerciante

Atendimentos remanejados

No local é possível encontrar paredes com rachaduras, mofo e infiltrações, além de mato alto na área externa. O Centro de Saúde da Vila Santa Helena, na região Campinas, será fechado e terá que remanejar os atendimentos para uma antiga escola por conta de problemas estruturais graves. De acordo com a prefeitura, a partir do dia 07 de fevereiro os moradores da região deverão procurar o prédio provisório no mesmo bairro para terem acesso aos serviços de saúde.

A gerente comercial Larissa Richelle Fagundes teme que a estrutura desabem sobre os usuários. “Acho que só vão tomar uma providência nesse posto quando uma parede cair em cima se alguém. Porque está tudo velho, deteriorado. Um desrespeito com os pacientes.  Vira e mexe dá polícia aqui porque as pessoas vêm para consultar e ficam insatisfeitas com o atendimento. Chegam a esperar horas e não dá certo, isso é uma falta de respeito com a população que precisa de posto”.

Reforma

A Secretaria de Saúde de Goiânia esclarece que tem promovido vistorias nas unidades de Saúde com o objetivo de levantar as condições físicas atuais. Esclarece ainda que se encontra em andamento o processo de contratação de empresa especializada em manutenção e reforma predial. “O projeto da Prefeitura de Goiânia é reformar todas as unidades de Saúde que mostrarem necessidade, entre as obras prioritárias está o Centro de Saúde Santa Helena”.

Quatro unidades de saúde de Goiânia ainda estão em reforma. O Centro de Saúde Integrada (Cais) do setor Chácara do Governador foi reformado para ser transformado em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e deve começar a funcionar nesta semana. Já o Cais Cândida de Moraes, Ciams Jardim América e Jardim Guanabara devem ter suas reformas concluídas até o meio deste ano.  Ao todo, as obras afetam 20 mil usuários.

Secretário Municipal de Saúde, Durval Pedroso, realizou a prestação de contas do primeiro mês deste ano em uma reunião remota da Comissão de Saúde da Câmara Municipal e foi cobrada pela conclusão das reformas das unidades de saúde pelos vereadores. Ele garantiu que todas devem ser concluídas até o fim deste ano, com expectativa para o término dos trabalhos até novembro.

Sobre a reforma do Centro de Saúde da Vila Santa Helena, a Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra) está fazendo os projetos para adequações de banheiros com acessibilidade, ampliação da sala de urgência, ampliação da Sala de Reanimação e ampliação do número de leitos.

De acordo com Pedroso, as obras das unidades de saúde dos bairros Campinas, Cândida de Moraes, Jardim Guanabara e Jardim América estão em curso. A Secretaria culpa a pandemia do Coronavírus pelos atrasos de conclusão dos trabalhos. “Foi difícil conseguir materiais e colocar mão de obra para funcionar porque muitos trabalhadores estavam em idade avançada”, alega. Ela ainda disse que todas as empresas envolvidas nas reformas tiveram essa dificuldade.

Imóveis antigos

As unidades de Saúde foram construídas na década de 1980 e precisam ser atualizadas para atender as normas da vigilância e trazer mais conforto aos pacientes. Os Cais de Goiânia recebem verbas federais do Ministério da Saúde. Por outro lado, as UPAs, se habilitadas, podem receber recursos para investimento interno que variam de R$ 150 mil a R$ 400 mil, a depender do porte da unidade de saúde.

Veja Também