Após ser extraditado de Portugal, goiano vai a júri popular por tentar matar o próprio amigo

Postado em: 17-05-2022 às 17h38
Por: Ana Bárbara Quêtto
O fato ocorreu em Goiânia, em um campo de futebol do bairro Vila União, no dia 17 de fevereiro de 2020 | Foto: Reprodução.

O goiano Pedro Victor da Silva Brito, de 28 anos, será levado à júri popular nesta quarta-feira (18/5), acusado de tentar matar o amigo dele, Thiago Araújo Ávila. O crime ocorreu em fevereiro de 2020, em um campo de futebol do bairro Vila União, em Goiânia. Após o ocorrido, Pedro teria fugido para Portugal, mas foi extraditado após ser capturado pela Interpol.

O julgamento vai acontecer a partir das 8h30 no Fórum Criminal Desembargador Fenelon Teodoro Reis, no Jardim Goiás, sendo presidido pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara.

Entenda

Consta nos autos do processo que Pedro e Thiago eram amigos há mais de 11 anos. Inclusive, Thiago costumava frequentar a casa do acusado frequentemente, chegando a levar Mariana, esposa da vítima, e seus filhos. No final de janeiro de 2020, o casal se separou após quatro anos juntos. Depois da separação, várias pessoas começaram a comentar que Pedro havia ficado com Mariana em uma festa, motivo pelo qual Thiago entrou em contato com seu amigo questionando o assunto, tendo ele negado.

Em 17 de fevereiro de 2020, os amigos trocaram inúmeras mensagens e, em uma delas, Thiago confirmou que a ex-mulher dele havia realmente namorado o denunciado na festa. Após as trocas de mensagens, os dois combinaram de se encontrar perto de um campo de futebol, situado na Vila União.

Chegando lá, a vítima se deparou com Pedro em pé, parado a aproximadamente dois metros de distância dele, e pronunciou as palavras: “Você está acreditando naquela vagabunda?”. Segundo a acusação, Pedro então teria sacado uma arma de fogo e atirado seis vezes contra o colega. Em seguida, ele teria fugido do local. Tempos depois descobriu-se que Pedro estava em Portugal. Ele foi extraditado após ser capturado pela Interpol.

De acordo com o relatório médico, Thiago só não morreu porque foi socorrido pelo SAMU e encaminhado para Hospital de Urgências de Goiânia. Thiago sofreu lesões no braço direito, mão esquerda e outro na região temporal direita, causando a perda da visão do olho direito.

Há indícios nos autos de que Pedro Victor pode ter sido o autor do delito, uma vez que uma testemunha disse que ele comprou a arma de fogo uma hora antes de cometer o crime, em um site de gambira, pela internet, por R$ 5 mil.

“Assim, demonstrada a materialidade do crime e, consoante os indícios de autoria alinhavados, estampados estão os requisitos necessários para a prolação da decisão intermediária de pronúncia”, afirmou o juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida

O juiz Jesseir de Alcântara concluiu que a tentativa de homicídio perpetrado em desfavor da vítima se encontra devidamente comprovada pelo Laudo de Exame de Lesões Corporais. 

Compartilhe: