Focos do hospedeiro da Dengue foram identificados em 55 locais da capital

Postado em: 24-05-2022 às 08h30
Por: Daniell Alves
Já são 36 óbitos confirmados pela doença neste ano. O número é maior do que o total do ano passado | Foto: Reprodução

Focos do hospedeiro da Dengue foram identificados em 55 locais de Goiânia em imóveis fechados ou abandonados, após visitas dos Agentes de Combate a Endemias (ACE), da Prefeitura de Goiânia. Outros 2.200 imóveis foram visitados pelos servidores e destes foram 623 proprietários autuados por reincidências focos, com multas que variam de R$ 2,6 mil a R$ 26 mil.

No último dia 12, a prefeitura lançou o “Dia D Contra o Aedes”, ação em parceria com o governo estadual que traz, como novidade, drone operado pelo Corpo de Bombeiros para o monitoramento de áreas de difícil acesso. Quanto a possíveis criadouros, Durval Pedroso lembra que a população pode denunciar pelo aplicativo ‘Goiânia contra o Aedes’, ou pelos telefones (62) 3524-3130 e (62) 3524-1637.

Goiânia tem liderado a lista dos municípios com o maior quantitativo de mortes pela doença. “O número de óbitos é bem maior que o do ano passado. Estamos nesse exato momento com 36 óbitos confirmados no 127 em investigação. No ano passado inteiro nós tivemos 33 óbitos confirmados”, explica a superintendente em Vigilância de Saúde, Flúvia Amorim. 

Multa

O prefeito Rogério Cruz explica que a multa é a última medida adotada pelo município. “Não é o que o município quer, mas em alguns casos se faz necessária porque o proprietário está contribuindo para que as pessoas adoeçam e até morram. Neste ano, infelizmente já temos nove óbitos em decorrência da dengue”, ressalta.

A força-tarefa com visitas terá duração de 180 dias, o mesmo tempo de vigência do decreto nº 1.318, de 13 de abril de 2022, que declarou situação de emergência em saúde pública no município de Goiânia, em decorrência da epidemia de dengue. “Ações de combate à dengue são rotineiras na Prefeitura de Goiânia. Até a semana passada, 283 proprietários já tinham sido multados neste ano. Foi necessário intensificar as ações por conta do grande número de casos”, afirma o secretário de Saúde de Goiânia, Durval Pedroso.

Cuidados básicos 

A recomendação para evitar a contaminação pelos vírus transmitidos pelo Aedes Aegypti é combater justamente o mosquito, e as ações devem começar dentro do próprio domicílio. “Os estudos feitos pelas Secretarias Municipais de Saúde demonstram que mais de 90% dos criadores se encontram nas casas. A gente tem falado muito que o vilão é o Aedes Aegypti, mas, na realidade, o próprio vilão somos nós, a partir do momento que não trabalhamos dentro dos nossos imóveis”, pontua a SMS. 

É preciso colocar areia nos vasinhos de plantas, vedar caixas d’água, tambores, latões, cisternas e desentupir calhas e grelhas, para evitar que a água se acumule e possa se tornar foco desse perigoso mosquito. O Aedes se prolifera em qualquer época, desde que tenha água parada, para colocar seus ovos, e pessoas próximas, para se alimentar de sangue.

Valores das multas relacionadas ao combate do Aedes aegypti, previstas na Lei Municipal 8887/2010, atualizados pelo IPCA:

  • Residências: R$ 2.608,81
  • Deixar caixas d’água, reservatórios ou cisternas sem tampas adequadas: R$ 2.608,81
  • Condomínios verticais e horizontais: R$ 3.623,35
  • Depositar e/ou descartar de forma irregular pneus e similares: R$ 4.348,02
  • Comércio de órgãos públicos: R$ 6.522,03
  • Recusar a entrada da fiscalização ou do Agente de Combate a Endemias, ou dificultar seus trabalhos: R$ 6.522,03
  • Piscina sem tratamento: R$ 7.246,71
  • Obras de construção civil: R$ 26.088,15
Compartilhe: