“Um bem às crianças”, diz mulher que matou filhas, em Edéia (GO)

Polícia Civil de Goiás recolheu o depoimento de Izadora Alves de Faria nesta quarta-feira (28).

Postado em: 29-09-2022 às 14h45
Por: Lorenzo Barreto
Lavínia Souza, Isadora Alves de Faria, e Maria Alice | Foto/Divulgação

A Polícia Civil de Goiás recolheu o depoimento de Izadora Alves de Faria, a assassina confessa de suas duas filhas, Maria Alice, 6 , e Lavínia Souza, de 10, em Edéia (GO). De acordo com o delegado Daniel Moura, a mulher não demonstrou nenhum tipo de remorso com o ato.

“Na cabeça dela, ela tinha feito um bem para as crianças. Ela acha que ela livrou as meninas de viver uma vida que ela viveu”, disse o delegado ao site G1. A defesa da mulher ainda não se manifestou sobre o caso.

Após procedimento protocolar feito nesta quarta-feira (28/9), ela foi encaminhada ao presídio de Israelândia (GO). Ela passou por audiência de custódia e teve a prisão convertida para preventiva. Na decisão, o juiz Hermes Pereira Vidigal, concluiu que Izadora agiu de forma “fria, repugnante e cruel”, e que ela oferece risco se permanecer em liberdade.

Continua após a publicidade

Izadora explicou à polícia que envenenou, tentou eletrocutar as meninas dentro de uma caixa d’água com fios elétricos e, em seguida as afogou e deu facadas para garantir que suas filhas tinham morrido.

Se condenada, o delegado explicou que Izadora pode pegar até 100 anos de prisão.

Veja Também