Estado de Goiás deve indenizar em R$ 100 mil jovens vítimas de agressão durante abordagem da PM, em Jataí

O caso aconteceu em janeiro de 2016

Postado em: 29-09-2022 às 16h43
Por: Ana Bárbara Quêtto
Estádio onde ocorreu a agressão | Foto: Reprodução

O Estado de Goiás deve indenizar dois jovens, em R$ 50 mil cada, após ambos terem sido agredidos com tapas e choques durante uma abordagem da Polícia Militar, em Jataí. A Procuradoria-Geral do Estado de Goiás afirmou que recorreu da decisão.

Os dois amigos estavam no estacionamento do estádio de futebol, bebendo com outros colegas, após uma festa, quando policiais sem identificação chegaram e começaram o abuso de autoridade. O caso aconteceu em janeiro de 2016.

Em depoimento, os jovens revelaram terem ficado cerca de 2 horas sendo abordados, com as mãos na cabeça. “Na abordagem, xingaram nós de vagabundo, humilhando a gente ali. Eu mesmo quando fui abordado levei vários disparos de choque, desferiram tapa no meu rosto”, disse um dos rapazes.

Continua após a publicidade

Leia também: Um dos maiores traficantes de Goiás é preso em Santa Catarina

Já o outro teve a camisa destruída por um dos agentes militares. “Na hora da revista pessoal, no meu bolso tinha algumas balinhas, que foi questionado pelo policial se era droga ou alguma coisa. Eu disse que não e ele me desferiu um tapa na cara”, afirmou a segunda vítima.

“Eu questionando ele por causa de tal tapa, ele falou que tinha que respeitar polícia, que era o serviço dele e me deu outro tapa na cara”, reafirmou o segundo jovem.

Na sentença, o juiz Thiago Soares Castelliano Lucena de Castro apontou que o abuso de autoridade foi confirmado “tendo em vista que, além das agressões físicas consistentes em tapas, chutes e choque elétrico, tiveram xingamentos e ofensas pessoais aos autores”.

Castro ainda conta que os policiais não honraram a farda e, também, relembra as ameaças deferidas às vítimas, além da destruição do patrimônio alheio, como a camisa rasgada e o narguilé quebrado.

Leia também: “Um bem às crianças”, diz mulher que matou filhas, em Edéia (GO)

Veja Também