Quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

Censo 2022 já registrou quase 80% da população brasileira

Pela primeira vez, o IBGE divulgou o total de população recenseada em aglomerados subnormais, sendo 12.337.295 pessoas no país vivendo nessa situação

Postado em: 06-12-2022 às 10h57
Por: Rodrigo Melo
Pela primeira vez, o IBGE divulgou o total de população recenseada em aglomerados subnormais, sendo 12.337.295 pessoas no país vivendo nessa situação | Foto: Divulgação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta terça-feira (6/11) o quarto balanço da coleta do Censo Demográfico 2022. Desde o início da operação, em 1º de agosto até a última segunda-feira (5), foram recenseadas 168.018.345 pessoas, em 59.192.875 domicílios no país. Esse total corresponde a 78,73% da população estimada do país.

O estado mais adiantado, ou seja, com maior proporção de pessoas recenseadas em relação a população estimada, é o Piauí (96,2%), seguido por Sergipe (91,2%) e Rio Grande do Norte (89,8%). Os menos adiantados são Mato Grosso (65,9%), Amapá (66,9%) e Espírito Santo (70,67%).

Destas, 29,43% estavam na região Nordeste, 39,54% no Sudeste, 14,76% no Sul, 8,79% no Norte e 7,44% no Centro-Oeste. Até o momento, 48,4% da população recenseada eram homens e 51,6% eram mulheres.

Continua após a publicidade

Ocupações irregulares

Pela primeira vez, o IBGE divulgou o total de população recenseada em aglomerados subnormais, definidos como as “ocupações irregulares de terrenos para fins de habitação em áreas urbanas e que, em geral, são caracterizados por um padrão urbanístico irregular, carência de serviços públicos básicos e localização em áreas restritas à ocupação”.

Até a manhã desta segunda-feira (5), eram 12.337.295 pessoas no país vivendo nessa situação, cerca de 7% da população recenseada até o momento. Além disso, 1.489.003 indígenas e 1.208.702 quilombolas já foram recenseados.

Leia também: Pela primeira vez, Quilombolas respondem ao Censo Demográfico

Veja Também