Tenente da FAB é preso suspeito de dirigir bêbado

Segundo a Polícia Civil, o militar e um amigo, que viajava no banco do passageiro, desobedeceram ao sinal de parada da PRF e ficaram exaltados após serem detidos pela PM

Postado em: 05-05-2018 às 19h00
Por: Katrine Fernandes
Segundo a Polícia Civil, o militar e um amigo, que viajava no banco do passageiro, desobedeceram ao sinal de parada da PRF e ficaram exaltados após serem detidos pela PM

Nesta última sexta-feira (4), um 2º tenente da Força Aérea
Brasileira (FAB), de 33 anos, foi preso, suspeito de dirigir bêbado na BR-060,
em Abadiânia, no Entorno do Distrito Federal.

Segundo a Polícia Civil, o militar e um amigo, que viajava
no banco do passageiro, desobedeceram ao sinal de parada da Polícia Rodoviária
Federal (PRF) e ficaram exaltados após serem detidos pela Polícia Militar (PM).

Continua após a publicidade

Em nota, a assessoria de imprensa da FAB informou ao G1 que
o preso é “integrante do efetivo do Primeiro Centro Integrado de Defesa
Aérea e Controle de Tráfego Aéreo [CINDACTA I], localizado em Brasília
(DF)” , que “um processo administrativo será aberto para apurar os
fatos” e “medidas administrativas e disciplinares poderão ser
aplicadas”.

Segundo o delegado Rodrigo Luiz Jayme, responsável pela
ocorrência, testemunhas disseram que o homem dirigia de forma perigosa, expondo
e ingerindo bebida alcoólica.

“Pessoas que passavam pela rodovia o viram bebendo,
ziguezagueando e expondo as bebidas. Ele estava com outro homem no veículo e
resistiu à parada, e quando finalmente foram pegos, o tenente ficou
completamente transtornado”, contou.

O caso ocorreu na manhã de sexta-feira, em Abadiânia.
Segundo o delegado, a dupla saiu do Distrito Federal e trafegava pela BR-060
exibindo garrafas de cerveja. Eles ignoraram ao sinal de parada da PRF e,
quando estavam quase saindo da cidade, foram pegos pela Polícia Militar, que
havia sido acionada para dar apoio no caso.

Conforme a Polícia Civil, o 2º tenente e o amigo foram
autuados por desacato, desobediência e resistência e, no caso do militar, além
dos crimes, também vai responder por embriaguez ao volante.

“Devido ao somatório das penas de cada crime, não foi
estipulada fiança para os envolvidos”, explicou o delegado.

Com informações do G1 Goiás

Veja Também