Quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Pesquisa da UFG cria Inteligência Artificial para detectar depressão

A partir de textos escritos por crianças e adolescentes, a Inteligência Artificial (IA) Machine Learning poderá detectar sinais de depressão, ansiedade e outros transtornos

Postado em: 04-11-2023 às 12h30
Por: Ronilma Pinheiro
Imagem Ilustrando a Notícia: Pesquisa da UFG cria Inteligência Artificial para detectar depressão
A previsão é que a máquina seja lançada em novembro de 2024, após fase de treinamento e testes com crianças e adolescentes | Foto: Secom/UFG

Esta geração de jovens nascidos a partir dos anos 2000, conhecida como a geração Z, é mais suscetível a desenvolver ansiedade mais cedo do que outras gerações. Tanto é que uma pesquisa feita pelas universidades de Cardiff, Edimburgo e Bristol, no Reino Unido, mostram que a geração Z apresenta sintomas de ansiedade e depressão mais cedo e por mais tempo do que há dez anos. A pesquisa reuniu dois grupos com 10 mil pessoas da geração Millennial e quase 18 mil pessoas da geração posterior.

Uma pesquisa em desenvolvimento na Universidade Federal de Goiás (UFG) promete identificar traços de problemas psicológicos em jovens e adolescentes, como depressão e ansiedade. A partir de textos escritos por esse público, a Inteligência Artificial (IA) Machine Learning aprenderá a reconhecer o padrão de escrita depressiva desses jovens.

A pesquisadora Leidiane Beatriz Passos Rodrigues, 27 anos, é a idealizadora do projeto. Ao jornal O Hoje, ela conta que a pesquisa surgiu a partir da sua própria vivência nas redes sociais, – onde as pessoas têm uma facilidade muito grande de expressar as emoções, sejam elas positivas ou negativas, como amor, paixão, raiva ou ódio -.

Continua após a publicidade

No entanto, Leidiane Beatriz pontua que nem sempre o que se posta ou se escreve na internet é o espelho da realidade. “Passando ali mesmo pelo Instagram, Facebook, eu ouvi alguns desabafos de pessoas. Aquilo me chamou atenção e eu pensei, será que tem alguém monitorando isso aqui? Será que tem alguém que pode ajudar essas pessoas?”, conta.

A partir dessa curiosidade, a jovem que na época procurava um projeto de pesquisa, achou por bem pesquisar o comportamento humano nas redes sociais. Como muitas vezes são só as palavras negativas são sinais de depressão, Leidiane julgou que seria interessante ter uma IA que pudesse identificar esses traços, já que esses sintomas passam despercebidos por quem faz parte do ciclo familiar e social dessas pessoas.

Inicialmente, o projeto foi desenvolvido ainda quando a jovem estava na graduação, a partir de dados coletados das redes sociais como o Twitter e Reddit. “A gente faz uma coleta em redes sociais para poder extrair informações desses testes. Aí a gente tenta classificar qual é o tipo de sentimento que a pessoa está tentando expressar naquele texto, se é uma tristeza, uma depressão ou algum outro tipo de transtorno de humor”, explica.

Com a pesquisa, foi possível identificar quais palavras seriam indicativas para esse tipo de transtorno de humor. “A partir disso, a IA conseguiu enxergar alguns resultados indicando que geralmente a gente tem a tendência de achar que só palavras negativas indicam depressão. Na verdade, palavras de conotação positiva, como a palavra vida, por exemplo, ela também pode indicar um tipo de grau de depressão”, detalha.

O projeto agora faz parte da pesquisa de mestrado em Ciência da Computação de Leidiane e o foco que antes era as redes sociais, agora é voltado para crianças e adolescentes nas escolas.  

Eu faço levantamento das palavras e aí eu vou treinar a máquina para ela aprender a reconhecer esse tipo de padrão de escrita no texto após a máquina aprender e reconhecer esse tipo ela mesmo pode.

Como público alvo são crianças e adolescentes nas escolas, o professor ou qualquer responsável dessa instituição será responsável por coletar as informações dos estudantes, seja por meio de textos escritos por eles no ambiente escolar ou mesmo nas redes sociais. Após isso, o profissional irá transcrever o texto para a Machine Learning, que posteriormente irá identificar se existem traços de problemas psicológicos neste aluno.

A IA ainda está na fase de treinamento com crianças e adolescentes. Somente após esse treinamento e posteriormente o teste final, ela poderá ser lançada. De acordo com a pesquisadora, a previsão é que a máquina seja lançada em novembro de 2024.

Veja Também