Terça-feira, 20 de fevereiro de 2024

Suspeito de chacina em Mato Grosso já admitiu ter matado jornalista em Goiás

Gilberto Rodrigues dos Anjos, de 32 anos, que estava foragido, é acusado de matar o jornalista Osni Mendes e foi preso após matar uma mulher e as três filhas dela, em Mato Grosso.

Postado em: 01-12-2023 às 16h59
Por: Daisy Rodrigues
Imagem Ilustrando a Notícia: Suspeito de chacina em Mato Grosso já admitiu ter matado jornalista em Goiás
Gilberto Rodrigues dos Anjos, de 32 anos, que estava foragido, é acusado de matar o jornalista Osni Mendes e foi preso após matar uma mulher e as três filhas dela, em Mato Grosso.

Gilberto Rodrigues dos Anjos, de 32 anos, que era funcionário de uma obra, foi preso e admitiu ‘com frieza’ ter matado o jornalista Osni Mendes. O suspeito ainda teria roubado o carro do profissional e usado para ir comprar bebidas, em Mineiros, no sudoeste de Goiás. Conforme a denúncia do Ministério Público de Goiás, o crime aconteceu no dia 22 de dezembro de 2013 e Gilberto era considerado foragido pela Justiça goiana.

De acordo com o inquérito, Gilberto teria conhecido o jornalista Osni em um bar e o jornalista teria oferecido uma carona ao acusado para irem até outro bar. Durante o trajeto, o jornalista disse que queria fazer xixi. Após parar o veículo, ele convidou Gilberto para descer também. Já do lado de fora, Osni tentou beijar o homem, que reagiu com empurrões e socos no rosto da vítima. Com isso, os dois entraram em luta corporal até que o jornalista foi nocauteado. Gilberto acabou enforcando o jornalista com sua própria camisa até a morte. Após o crime, Gilberto fugiu no carro da vítima e se escondeu na chácara de um amigo.

O documento traz o depoimento do homem que abrigou Gilberto após ele matar Osni. A testemunha revelou que Gilberto contou detalhes específicos da cena do crime, como por exemplo, a camisa branca, o short de malha e os chinelos usados pela vítima e a posição que o cadáver ficou. Com isso, o MP descreve Gilberto como frio: “evidencia a frieza na execução do crime”, relata.

Continua após a publicidade

De acordo com a denúncia do MP, Gilberto ainda usou o carro do jornalista enquanto estava escondido para buscar cerveja e ir em bares no final de semana após o crime, no Setor Taninho, em Mineiros. Cinco dias depois, o acusado foi flagrado pela Polícia Militar (PM) em um bar com o carro e os pertences da vítima. Gilberto não resistiu à prisão e confessou ter matado o jornalista.

Como o jornalista foi morto com extrema violência e Gilberto fugiu da cena do crime, o delegado da época solicitou à Justiça que a prisão do homicida fosse convertida em preventiva e, perante isso, o assassino ficou preso preventivamente no presídio da cidade.

Gilberto voltou à liberdade e, quando intimado novamente para prestar esclarecimentos, não foi mais encontrado. A Justiça decidiu expedir novamente mandado de prisão preventiva contra ele, em 24 de janeiro de 2018, mas a ordem nunca chegou a ser cumprida.

Após ser preso na segunda-feira (27) suspeito de matar uma mulher de 46 anos e as três filhas dela, a Justiça de Goiás atualizou o processo da morte de Osni para o réu preso.

Durante o interrogatório, o acusado admitiu ter invadido a casa das vítimas na noite de sexta-feira (24) após usar entorpecentes. A polícia descobriu após a prisão que ele estava foragido por crime sexual em Lucas do Rio Verde (MT) e pelo latrocínio contra o jornalista Osni Mendes.

Veja Também