Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Novas subvariantes da Covid: Goiás disponibiliza dose reforço da vacina bivalente para idosos

A recomendação foi feita após a identificação de duas sublinhagens da variante Omicron da covid-19 no estado do Ceará, que fez com que o número de casos naquele estado aumentasse

Postado em: 08-12-2023 às 08h44
Por: Ícaro Gonçalves
Imagem Ilustrando a Notícia: Novas subvariantes da Covid: Goiás disponibiliza dose reforço da vacina bivalente para idosos
A recomendação foi feita após a identificação de duas sublinhagens da variante Omicron da covid-19 no estado do Ceará, que fez com que o número de casos naquele estado aumentasse | Foto: Reprodução

Seguindo recomendação do Ministério da Saúde, o Estado de Goiás vai disponibilizar a dose de reforço da vacina bivalente contra Covid-19 para idosos acima de 60 anos e imunocomprometidos a partir de 12 anos.

A recomendação foi feita após a identificação de duas sublinhagens da variante Omicron da covid-19 no estado do Ceará, que fez com que o número de casos naquele estado aumentasse. “Essa recomendação para que idosos e imunodeprimidos tomem mais uma dose da vacina bivalente. Lembrando que a orientação é para quem já tomou a última dose há seis meses ou mais”, explica a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), Flúvia Amorim.

O imunizante está disponível nas 989 salas de vacinação em todo o estado. Hoje, a cobertura vacinal para a bivalente em Goiás é de 13,22%.

Continua após a publicidade

Além dos idosos, transplantados, pessoas vivendo com HIV, portadores de doença renal crônica em hemodiálise e pacientes oncológicos que fizeram tratamento quimioterápico ou radioterápico podem buscar a dose de reforço.

“Se você está nessa situação, a recomendação é procurar um posto de vacinação no seu município e atualizar sua caderneta”, completa a superintendente.

Covid no estado

Em Goiás, já foram registrados, ao longo de 2023, um total de 110.463 casos confirmados de Covid-19, com 452 óbitos pela doença. Até o momento, contudo, não há registro das subvariantes JN.1 e JG.3 no estado, conforme o último sequenciamento genômico realizado pelo Laboratório Central de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen-Go), em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Atualmente, a XBB.1 é a subvariante com maior representatividade em Goiás.

Veja Também