Segunda-feira, 15 de abril de 2024

Namorada do serial killer afirmou que não sabia de seus crimes, diz delegado

“Há duas semanas ele começou a namorar uma pessoa, que já foi ouvida, ela falou que não sabia (dos homicídios) e que, aparentemente, ele era tranquilo.” detalhou o

Postado em: 28-02-2024 às 16h44
Por: Rauena Zerra
Imagem Ilustrando a Notícia: Namorada do serial killer afirmou que não sabia de seus crimes, diz delegado
Todas as vítimas são homens e, conforme Marcus, podem ter sido atraídas por drogas pelo investigado que também é dependente químico I Foto: Divulgação/PCGO

O suposto serial killer denominado pela corporação goiana como “Vampiro de Goiânia”, foi preso neste último domingo (25), após a polícia receber denúncias anônimas. O homem, de 51 anos, que morava na região do Setor Norte Ferroviário, em Goiânia, era natural de Corumbá, no Mato Grosso Sul. 

Em entrevista ao Hoje, o delegado responsável pelo caso Marcus Cardoso revelou que o suspeito morava sozinho, porém havia começado um relacionamento recentemente. “Há duas semanas, ele começou a namorar uma pessoa, que já foi ouvida, ela falou que não sabia (dos homicídios) e que, aparentemente, ele era tranquilo.” detalhou o delegado. 

O homem foi preso suspeito de ter assassinado pelo menos três moradores de rua e usuários de drogas em Goiânia, na região norte da capital. De acordo com o delegado Marcus Cardoso, o suspeito cometeu os homicídios por prazer, chegando a arrancar o coração das vítimas e consumir seu sangue em alguns casos.

Continua após a publicidade

O suspeito pode ter feito mais duas vítimas, de acordo com  delegado, elevando o total de mortes para cinco. Além dos crimes atualmente em investigação, ele já tem antecedentes por três homicídios. Os delitos teriam ocorrido entre dezembro de 2023 e fevereiro deste ano. 

Entenda o caso 

A Polícia Civil (PC) está considerando a possibilidade de que o homem seja um serial killer operando na região norte da capital. Todas as vítimas são homens e, conforme Marcus, podem ter sido atraídas por drogas pelo investigado que também é dependente químico. 

“O modus operandi dele era atrair essas pessoas vulneráveis para executá-las, mas não há registros de canibalismo. No interrogatório, ele confessou a prática dos três homicídios, mas negou que tenha matado outras duas pessoas e que tenha consumido o sangue”, explicou. 

O primeiro corpo foi encontrado no dia 16 de dezembro no Setor Norte Ferroviário com sinais de traumatismo cranioencefálico. No dia 26 do mesmo mês, a corporação encontrou a segunda vítima no Setor Crimeia-Oeste, com sinais de estrangulamento e com o corpo carbonizado, de acordo com o delegado.

O terceiro corpo foi encontrado mais de um mês depois, em 11 de fevereiro, no dia 11, enrolado em um lençol e em um colchão no Setor Crimeia-Leste. Todas as vítimas são homens e, conforme Marcus, podem ter sido atraídas por drogas pelo investigado que também é dependente químico. 

Com a ajuda da Polícia Técnico-Científica, foi localizado bastante sangue humano em um dos endereços vinculados a ele. O material foi coletado e será confrontado com os corpos encontrados na região.

Veja Também