Segunda-feira, 15 de abril de 2024

Consumo de energia em Goiás aumenta quase 20% este ano

Com a terceira onda de calor neste ano, várias regiões do país foram atingidas, provocando várias sobrecargas na rede elétrica nos estados

Postado em: 22-03-2024 às 10h42
Por: Matheus Santana
Imagem Ilustrando a Notícia: Consumo de energia em Goiás aumenta quase 20% este ano
Com a terceira onda de calor neste ano, várias regiões do país foram atingidas, provocando várias sobrecargas na rede elétrica nos estados | Foto: Equatorial Goiás

Nos primeiro meses deste ano, o consumo de energia em Goiás foi 17% maior que no mesmo período de 2023. O gasto médio residencial dos goianos no primeiro bimestre de 2023 foi de 173 kWH por instalação, já neste ano o consumo chegou aos 203 kWh.  

Os dados divulgados são da companhia de eletricidade Equatorial Goiás. O executivo de faturamento da companhia, Marcos Aurélio Silva, relata que esse aumento se dá devido às elevações de temperatura.

“O calor provoca o aumento no consumo de energia em função dos equipamentos refrigeradores e gera fortes mudanças nos hábitos de consumo, como uso maior de ar-condicionado e ventiladores, assim como maior consumo de alimentos e bebidas refrigeradas”, esclarece.

Continua após a publicidade

Com a terceira onda de calor neste ano, várias regiões do país foram atingidas, provocando várias sobrecargas na rede elétrica nos estados. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmt), emitiu um alerta para essas elevações nas temperaturas pelo Brasil.

Em Goiás, municípios do extremo sudoeste, como Caçu e São Simão, apresentaram temperaturas mais elevadas que o normal para o período, segundo o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo).

Ainda segundo o órgão, a combinação de calor e umidade pode gerar inclusive áreas de instabilidade e provocar tempestades isoladas. Os temporais podem vir acompanhados de raios e rajadas de vento acima de 60km/h, que pode acabar resultando em alagamentos e quedas de árvores.

A Equatorial alerta que essas condições climáticas adversas, associadas ao aumento do consumo, provocam desarmes nos disjuntores de entrada de prédios, condomínios e residências que não estão preparadas para esse tipo de crescimento no consumo de energia.  

Veja Também